Recent changes to this wiki:

diff --git a/Quem_Somos.mdwn b/Quem_Somos.mdwn
index aba8020..383ee49 100644
--- a/Quem_Somos.mdwn
+++ b/Quem_Somos.mdwn
@@ -1 +1,31 @@
 o (kilombu 15) eh uma organizacao panafricanista que busca o fortalecimento de bases comunitarias atravez de acoes diretas culturais africanas. 
+
+Sobre
+
+MIl ONilètó , comunicador comunitário, ativista militante dos direitos civis e atuante na luta contra a supremacia brankkka e toda forma de opressão e suas facetas de colonizações, sejam elas de ordem sociais ou digitais.
+
+Criador de uma organização chamada kilombu15, que tem como finalidade ser uma base de fortalecimento comunitário. atraves da comunicação, esporte, cultura e ancestralidade. vem realizando trabalhos com crianças jovens e adultos da comunidade do João Paulo em São Luis do Maranhão.
+PROJETO BLACK PANTHERS
+
+Oferece aulas de jiujitsu e taekwondo para crianças, jovens e adultos do joão paulo e redondeza.tendo atendido desde o inicio de suas atividades mais 1000 crianças, tendo participado da formação de varios jovens e adultos,
+MAPA LAGBAYE LYIKA
+
+Ferramenta de georeferenciamento, onde as comunidades atendidas tem a possibilidades de enviar relatos pra falar do seu cotidiano, contar historias, compartilhar conhecimentos estando conectado a uma rede de pessoas e comunidades que ultilizam o mapa como banco de dados descentralizado assim como ferramenta de denuncia em tempo real.
+
+Todos os relatos que chegam no mapa lagbaye lyika pode ser redirecionado para toda rede criando um post alerta para todos os afins, mantendo em sigilo o enviante da denuncia caso seja necessario. possibilitando inclusive a tabulação desses dados e download
+CINE QUEBRADA
+
+Ação direta com o cinema, onde o objetivo é pecorrer as mais remotas comunidades perifericas de são luis e exibir filmes e documentarios para os moradores. completando 25 edições o projeto tem um acumulo de historias muito fortalcedoras, deixando a mostra o poder de mobilização do cinema para a comunicação de base formativa.
+ONILUS TAMBORES
+
+Cooperativa de fazedores de tambores e instrumentos de percussão afro brasileiro africano e Maranhense. reafirmando a importancia do mestre fazedor de tambor pra manutenção da cultura de um povo. com esse mote a cooperativa busca ser um ponto de encontro e troca de conhecimento e experiência sobre a cultura do tambor, evitando o turismo predatorio e fortalecendo as comunidades graças ao turismo de base etnico comunitaria que mantenha um ciclo de troca saudavel entre as comunudade e publico externo, contando historias atravez do tambor.
+
+A onilus concentra sua atuação na arte mais tradicional possibel, conservando arte de dobras de madeiras e afinações a cordas. e tem dividido essas informações com diversas comunidades da Amazônia, tendo levado o trabalho da onilus tambores até o Peru, assim como nas cidades Brasileiras de ILheus, Itacare, Belem e outras por onde a onilus tem dividido pegadas.
+Rede de Radio web e tv Cine Quebrada
+
+Surgindo como uma necessidade de se comunicar e na busca de reativação da Rádio conquista fm, nasce a rbg Rádio, com a proposta de ser um rádio descentralizada, sendo tocada de diversos lugares do Brasil durante a semana.
+
+assim como a tv web Cine Quebrada que possibilita fazer stream ao vivo diretamente do celular. sendo exibido doretamente no portal de comunicação do projeto;
+REDE COLABORATIVA DE RADIOS WEB LIVRES
+
+Projeto de apropriação tecnologica radiofonica de fortalecimento de bases etnicos comunitárias atravez de tecnologias de comunicação via radios web livres.

diff --git a/index.mdwn b/index.mdwn
index f02049b..3e83d7b 100644
--- a/index.mdwn
+++ b/index.mdwn
@@ -149,6 +149,11 @@ Projeto de apropriação tecnologica radiofonica de fortalecimento de bases etni
 
 >>>>><p><a href="http://orelha.radiolivre.org:8000/radiorbg.mp3" target="iframe_a"> Me aperta pra Ouvir)</a></p> 
 
+### RADIO LIVRE ALÔ SEREIA 
+
+>>>>>><aside id="text-2" class="widget widget_text"><h3 class="widget-title">Web Radio Alô Serreia </h3>			<div class="textwidget"><audio style="width: 300px; margin-bottom: 0px;" autoplay="autoplay" controls="controls" preload=none id='player'> 	<source src='http://radios.radiosyculturalibre.com.ar:9000/alo-serreia.ogg' type='audio/mp3'><p>Your browser doesn't support HTML audio. Sorry.</p></audio></div>
+
+>>>>><p><a href="http://radios.radiosyculturalibre.com.ar:9000/alo-serreia.ogg" target="iframe_a"> Me aperta pra Ouvir)</a></p> 
 
 
 

diff --git a/posts/Quilombismo.mdwn b/posts/Quilombismo.mdwn
index 0e96240..9dc6278 100644
--- a/posts/Quilombismo.mdwn
+++ b/posts/Quilombismo.mdwn
@@ -460,4 +460,4 @@ QUARTIM, João (1971). Dictatorship and armed struggle in Brazil, trad. David Fe
 
 Transcrito do livro O Quilombismo, 2ª ed. (Brasília/ Rio: Fundação Cultural Palmares/ OR Editora, 2002).
 
-
+fonte da pesquisa:https://issuu.com/institutopesquisaestudosafrobrasile/docs/quilombismo_final

diff --git a/posts/Quilombismo.mdwn b/posts/Quilombismo.mdwn
index 308b7c3..0e96240 100644
--- a/posts/Quilombismo.mdwn
+++ b/posts/Quilombismo.mdwn
@@ -13,7 +13,7 @@ O quilombismo propõe esse legado como referência básica de uma proposta de mo
 As medidas e os princípios propostos estão no texto A B C do Quilombismo.
 
 
-[[!img  abdias.jpg size="200x200" alt="clouds"]]  
+[[!img  abdias.jpeg size="200x200" alt="clouds"]]  
 
 
 

diff --git a/posts/Quilombismo.mdwn b/posts/Quilombismo.mdwn
index 3f7a503..308b7c3 100644
--- a/posts/Quilombismo.mdwn
+++ b/posts/Quilombismo.mdwn
@@ -13,7 +13,7 @@ O quilombismo propõe esse legado como referência básica de uma proposta de mo
 As medidas e os princípios propostos estão no texto A B C do Quilombismo.
 
 
-  
+[[!img  abdias.jpg size="200x200" alt="clouds"]]  
 
 
 

attachment upload
diff --git a/posts/Quilombismo/abdias.jpeg b/posts/Quilombismo/abdias.jpeg
new file mode 100644
index 0000000..a7662dd
Binary files /dev/null and b/posts/Quilombismo/abdias.jpeg differ

diff --git a/posts/Quilombismo.mdwn b/posts/Quilombismo.mdwn
new file mode 100644
index 0000000..3f7a503
--- /dev/null
+++ b/posts/Quilombismo.mdwn
@@ -0,0 +1,463 @@
+####SOBRE O QUILOMBISMO
+
+[[!img  quilombismo.jpg size="200x200" alt="clouds"]]
+
+No 2º Congresso de Cultura Negra das Américas (Panamá, 1980), Abdias apresenta sua tese do quilombismo.
+
+Os quilombos são uma das primeiras experiências de liberdade nas Américas. Eles tinham uma estrutura comunitária baseada em valores culturais africanos. Sua organização política era democrática. Seu modelo econômico era o contrário do modelo colonial.
+
+Em vez de produzir um item só para exportação e depender da matriz imperial, tinham uma produção agrícola diversificada que provia seu próprio sustento e mantinham relações de troca e intercâmbio com as populações circundantes.
+
+O quilombismo propõe esse legado como referência básica de uma proposta de mobilização política da população afrodescendente nas Américas com base na sua própria experiência histórica e cultural. Vai mais longe ainda, e articula uma proposta afro-brasileira para o Estado nacional contemporâneo, um Brasil multiétnico e pluricultural.
+
+As medidas e os princípios propostos estão no texto A B C do Quilombismo.
+
+
+  
+
+
+
+####TRECHOS DA INTRODUÇÃO AO LIVRO O QUILOMBISMO
+
+Como os conjuntos de políticas públicas articulados e encaminhados ao Governo pelo movimento negro em dois momentos posteriores - a Marcha Zumbi dos Palmares de 1995 e o processo da 3ª Conferência - , o quilombismo é também herdeiro de um movimento social que, já em 1945, apresentava suas propostas à Assembléia Constituinte encarregada de redemocratizar o país (Nascimento, 1982[1968]).
+
+A singularidade de O quilombismo está no fato de apresentar uma proposta sócio-política para o Brasil, elaborada desde o ponto de vista da população afrodescendente. Num momento em que não se falava ainda em ações afirmativas ou compensatórias, nem se cogitava de políticas públicas voltadas à população negra, o autor deste livro propunha a coletividade afro-brasileira como ator e autor de um elenco de ações e de uma proposta de organização nacional para o Brasil. Assim, sustentava e concretizava a afirmação de que a questão racial é eminentemente uma questão nacional.
+
+O quilombismo antecipa conceitos atuais como multiculturalismo, cujo conteúdo está previsto nos princípios de "igualitarismo democrático (...) compreendido no tocante a sexo, sociedade, religião, política, justiça, educação, cultura, condição racial, situação econômica, enfim, todas as expressões da vida em sociedade;" "igual tratamento de respeito e garantias de culto" para todas as religiões; ensino da história da África, das culturas, civilizações e artes africanas nas escolas.
+
+O ambientalismo também se faz presente, no princípio que "favorece todas as formas de melhoramento ambiental que possam assegurar uma vida saudável para as crianças, as mulheres, os homens, os animais, as criaturas do mar, as plantas, as selvas, as pedras e todas as manifestações da natureza".
+
+A propriedade coletiva da terra, o direito ao trabalho digno e remunerado, a prioridade para a criança, e a possibilidade da "transformação das relações de produção e da sociedade de modo geral por meios não violentos e democráticos" estão entre os princípios humanistas do quilombismo.
+
+O texto antecipa, também, a mais recente inovação na abordagem das relações raciais, que parte do aspecto relacional sugerido pela ótica de gênero. A categoria "gênero" implica relação entre homem e mulher, assim deslocando o foco da tradicional "questão da mulher".
+
+Da mesma forma, para compreender a questão racial é preciso focalizar tanto o privilégio desfrutado pelo branco como as desvantagens sofridas por negros. Já na década dos 1940 e 1950, Abdias e outros intelectuais negros, entre eles o sociólogo Guerreiro Ramos e o advogado Aguinaldo Camargo, vinham criticando o enfoque tradicional brasileiro sobre "o problema do negro".
+
+Atribuem ao escritor Fernando Góes a sugestão, feita numa atitude de fina ironia, de se realizar um Congresso dos negros para estudar o branco. Essa sugestão e suas implicações são retomadas, e dotadas de semelhante carga de ironia crítica, no texto de O quilombismo. Trata-se de mais uma afirmação do racismo como fenômeno relacional mais amplo, profundo e complexo que aquele denotado pela constatação das chamadas "desigualdades raciais".
+
+Nesta obra, merecem um capítulo à parte, além de serem focalizadas em todos os textos, as peripécias específicas da mulher negra, que envolvem aspectos múltiplos e complementares. A questão racial e a de gênero se tecem juntos numa teia que hoje se denomina "interseccionalidade", conceito de certa maneira antecipado no conjunto das obras do autor ao integrar a mulher negra como prioridade temática de sua análise. Mais de uma década antes de instituir-se a reserva de vagas para mulheres nas listas de candidaturas a cargos políticos, constava entre os princípios do quilombismo o seguinte:
+
+12. Em todos os órgãos do Poder do Estado Quilombista - Legislativo, Executivo e Judiciário - a metade dos cargos de confiança, dos cargos eletivos, ou dos cargos por nomeação, deverão, por imperativo constitucional, ser ocupados por mulheres. O mesmo se aplica a todo e qualquer setor ou instituição de serviço público.
+
+O conjunto de textos deste volume vem contribuir para o registro histórico de aspectos pouco divulgados do pan-africanismo, um dos mais importantes fenômenos do século XX. Demonstra também uma continuidade e coerência com assuntos eminentemente contemporâneos, pois reconhecemos nestes ensaios, em particular no ABC e nos Princípios do Quilombismo, a formulação de idéias e polêmicas ainda hoje emergentes.
+A atualidade de O quilombismo não se esgota nos temas que apontamos. Creio que cada leitor irá vislumbrar, para além dessas questões, outras talvez mais interessantes.
+
+Rio de Janeiro, outubro de 2001
+Elisa Larkin Nascimento
+
+BIBLIOGRAFIA
+
+
+MOORE, Carlos (2002). Abdias do Nascimento e o surgimento de um pan-africanismo contemporâneo global. In: Nascimento, Abdias do. O Brasil na mira do pan-africanismo. Salvador: CEAO/ EDUFBA,.
+
+NASCIMENTO, Abdias do (2002). O Brasil na mira do pan-africanismo. Salvador: CEAO/ EDUFBA.
+
+__ . (1982[1968]). O negro revoltado, 2ª ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. [1ª ed. Rio de Janeiro: GRD].
+__ . (1966). Carta aberta a Dacar. Tempo brasileiro, v. 4, n. 9/10, 2. Trim, 1966. [Diário do Congresso Nacional, suplemento, 20 abr., p. 15-17, lida na Câmara dos Deputados pelo então deputado Hamilton Nogueira.] In: Nascimento, Abdias do. O Brasil na mira do pan-africanismo. Salvador: CEAO/ EDUFBA, 2002.
+
+
+Trechos do Prefácio do livro O Quilombismo, 2ª ed. (Brasília/ Rio: Fundação Cultural Palmares/ OR Editora, 2002).
+
+
+
+
+####ABC do Quilombismo
+
+#####Na trajetória histórica que esquematizamos nestas páginas, o quilombismo tem nos fornecido várias lições. Tentaremos resumi-las num ABC fundamental que nos ensina que:
+
+a) Autoritarismo de quase 500 anos já é bastante. Não podemos, não
+devemos e não queremos tolerá-lo por mais tempo. Sabemos de experiência própria que uma das práticas desse autoritarismo é o desrespeito brutal da polícia às famílias negras. Toda a sorte de arbitrariedade policial se acha fixada nas batidas que ela faz rotineiramente para manter aterrorizada e desmoralizada a comunidade afro-brasileira. Assim fica confirmada, diante dos olhos dos próprios negros, sua condição de impotência e inferioridade, já que são incapazes até mesmo de se autodefenderem ou de proteger sua família e os membros de sua respectiva comunidade. Trata-se de um estado de humilhação permanente.
+
+b) Banto denomina-se um povo ao qual pertenceram os primeiros
+africanos escravizados que vieram para o Brasil de países que hoje se chamam Angola, Congo, Zaire, Moçambique e outros. Foram os bantos os primeiros quilombolas a enfrentar em terras brasileiras o poder militar do branco escravizador.
+
+c) Cuidar em organizar a nossa luta por nós mesmos é um imperativo
+da nossa sobrevivência como um povo. Devemos por isso ter muito cuidado ao fazer alianças com outras forças políticas, sejam as ditas revolucionárias, reformistas, radicais, progressistas ou liberais. Toda e qualquer aliança deve obedecer a um interesse tático ou estratégico, e o negro precisa obrigatoriamente ter poder de decisão, a fim de não permitir que a comunidade negra seja manipulada por interesses de causas alheias à sua própria.
+
+d) Devemos ampliar sempre a nossa frente de luta, tendo em vista: 1)
+os objetivos mais distantes da transformação radical das estruturas sócio-econômicas e culturais da sociedade brasileira; 2) os interesses táticos imediatos. Nestes últimos se inclui o voto do analfabeto e a anistia aos prisioneiros políticos negros. Os prisioneiros políticos negros são aqueles que são maliciosamente fichados pela polícia como desocupados, vadios, malandros, marginais, e cujos lares são freqüentemente invadidos.
+
+e) Ewe ou gêge, povo africano de Gana, Togo e Daomé (Benin); milhões de ewes foram escravizados no Brasil. Eles são parte do nosso povo e da nossa cultura afro-brasileira.
+
+Ejetar o supremacismo branco do nosso meio é um dever de todo democrata. Devemos ter sempre presente que o racismo, isto é, supremacismo branco, preconceito de cor e discriminação racial, compõem o fator raça, a primeira contradição para a população de origem africana na sociedade brasileira. (Aviso aos intrigantes, aos maliciosos, aos apressados em julgar: o vocábulo raça, no sentido aqui empregado, se define somente em termos de história e cultura, e não em pureza biológica).
+
+f) Formar os quadros do quilombismo é tão importante quanto a mobilização e a organização da comunidade negra.
+
+g) Garantir ao povo trabalhador negro o seu lugar na hierarquia de Poder e Decisão, mantendo a sua integridade etno-cultural, é a motivação básica do quilombismo.
+
+h) Humilhados que fomos e somos todos os negro-africanos, com todos devemos manter íntimo contato. Também com organizações africanas independentes, tanto da diáspora como do continente. São importantes e necessárias as relações com órgãos e instituições internacionais de Direitos Humanos, tais como a ONU e a UNESCO, de onde poderemos receber apoio em casos de repressão. Nunca esquecer que sempre estivemos sob a violência da oligarquia latifundiária, industrial-financeira ou militar.
+
+i) Infalível como um fenômeno da natureza será a perseguição do poder branco ao quilombismo. Está na lógica inflexível do racismo brasileiro jamais permitir qualquer movimento libertário dos negros majoritários. Nossa existência física é uma realidade que jamais pôde ser obliterada, nem mesmo pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) ao manipular os dados censitários, nos quais erradicou o fator racial e de cor dos cômputos demográficos. E quanto a nosso peso político? Simplesmente não existe. Desde a proclamação da República, a exclusão do voto ao analfabeto significa na prática a exclusão da população negra do processo político do país.
+
+j) Jamais as organizações políticas dos afro-brasileiros deverão permitir o acesso aos brancos não-quilombistas a posições com autoridade para obstruir a ação ou influenciar as tomadas de posição teóricas e práticas em face da luta.
+
+k) Kimbundo, língua do povo banto, veio para o Brasil com os escravos procedentes da África meridional. Essa língua exerceu notável influência sobre o português falado neste país.
+
+l) Livrar o Brasil da industrialização artificial, tipo "milagre econômico", está nas metas do quilombismo. Neste esquema de industrialização, o negro é explorado a um tempo pelo capitalista industrial e pela classe trabalhadora classificada ou "qualificada". Como trabalhador "desqualificado" ou sem classe, ele é duplamente vítima: da raça (branca) e da classe (trabalhadora "qualificada" e/ou burguesia de qualquer raça). O quilombismo advoga para o Brasil um conhecimento científico e técnico que possibilite a genuína industrialização que represente um novo avanço de autonomia nacional. O quilombismo não aceita que se entregue a nossa reserva mineral e a nossa economia às corporações monopolistas internacionais, porém tampouco defende os interesses de uma burguesia nacional. O negro-africano foi o primeiro e o principal artífice da formação econômica do País e a riqueza nacional pertence a ele e a todo o povo brasileiro que a produz.
+
+m) Mancha branca é o que significa a imposição miscigenadora do branco, implícita na ideologia do branqueamento, na política imigratória, no mito da "democracia racial". Tudo não passa de racionalização do supremacismo branco e do estupro histórico e atual que se pratica contra a mulher negra.
+
+n) Nada de mais confusões: se no Brasil efetivamente houvesse igualdade de tratamento, de oportunidades, de respeito, de poder político e econômico; se o encontro entre pessoas de raças diferentes ocorresse espontâneo e livre da pressão do poder e prestígio sócio-econômico do branco; se não houvesse outros condicionamentos repressivos de caráter moral, estético e cultural, a miscigenação seria um acontecimento positivo, capaz de enriquecer o brasileiro, a sociedade, a cultura e a humanidade das pessoas.
+
+o) Obstar o ensinamento e a prática genocidas do supremacismo branco é um fator substantivo do quilombismo.
+
+p) Poder quilombista quer dizer: a Raça Negra no Poder. Os descendentes de africanos somam a maioria da nossa população. Portanto, o Poder Negro será um poder democrático. (Reitero aqui a advertência aos intrigantes, aos maliciosos, aos ignorantes, aos racistas: neste livro a palavra raça tem exclusiva acepção histórico-cultural. Raça biologicamente pura não existe e nunca existiu).
+
+q) Quebrar a eficácia de certos slogans que atravessam a nossa ação contra o racismo, como aquele da luta única de todos os trabalhadores, de todo o povo ou de todos os oprimidos, é um dever do quilombista. Os privilégios raciais do branco em detrimento do negro constituem uma ideologia que vem desde o mundo antigo. A pregação da luta "única" ou "unida" não passa de outra face do desprezo que nos votam, já que não respeitam a nossa identidade e nem a especificidade do nosso problema e do nosso esforço em resolvê-lo.
+
+r) Raça: acreditamos que todos os seres humanos pertencem à mesma espécie. Para o quilombismo, raça significa um grupo humano que possui, relativamente, idênticas características somáticas, resultantes de um complexo de fatores históricos e ambientais. Tanto a aparência física, como igualmente os traços psicológicos, de personalidade, de caráter e emotividade, sofrem a influência daquele complexo de fatores onde se somam e se complementam a genética, a sociedade, a cultura, o meio geográfico, a história. O cruzamento de diferentes grupos raciais, ou de pessoas de identidade racial diversas, está na linha dos mais legítimos interesses de sobrevivência da espécie humana.
+Racismo: é a crença na inerente superioridade de uma raça sobre outra. Tal superioridade é concebida tanto no aspecto biológico, como na dimensão psico-sócio-cultural. Esta é a dimensão usualmente negligenciada ou omitida nas definições tradicionais do racismo. A elaboração teórico-científica produzida pela cultura branco-européia justificando a escravização e a inferiorização dos povos africanos constitui o exemplo eminente do racismo sem precedentes na história da humanidade.
+Racismo é a primeira contradição social no caminho do negro. A esta se juntam outras, como a contradição de classes e de sexo.
+
+s) Swahili é uma língua de origem banta, influenciada por outros idiomas, especialmente o árabe. Atualmente, o swahili é falado por mais de 20 milhões de africanos da Tanzânia, do Quênia, de Uganda, do Burundi, do Zaire, e de outros países. Os afro-brasileiros necessitam aprendê-la com urgência.
+Slogan do poder público e da sociedade dominante, no Brasil, condenando reiterada e indignadamente o racismo, se tornou um recurso eficaz encobrindo a operação racista e discriminatória sistemática, de um lado, e de outro lado servindo como uma arma apontada contra nós com a finalidade de atemorizar-nos, amortecendo ou impedindo que um movimento coeso do povo afro-brasileiro obtenha a sua total libertação.
+
+t) Todo negro ou mulato (afro-brasileiro) que aceita a "democracia racial" como uma realidade, e a miscigenação na forma vigente como positiva, está traindo a si mesmo, e se considerando um ser inferior.
+
+u) Unanimidade é algo impossível no campo social e político. Não devemos perder o nosso tempo e a nossa energia com as críticas vindas de fora do movimento quilombista. Temos de nos preocupar e criticar a nós próprios e às nossas organizações, no sentido de ampliar a nossa consciência negra e quilombista rumo ao objetivo final: a ascensão do povo afro-brasileiro ao Poder.
+
+v) Vênia é o que não precisamos pedir às classes dominantes para reconquistarmos os frutos do trabalho realizado pelos nossos ancestrais africanos no Brasil. Nem devemos aceitar ou assumir certas definições, "científicas" ou não, que pretendem situar o comunalismo africano e o ujamaaísmo como simples formas arcaicas de organização econômica e/ou social. Esta é outra arrogância de fundo eurocentrista que implicitamente nega às instituições nascidas na realidade histórica da África a capacidade intrínseca de desenvolvimento autônomo relativo. Nega a tais instituições a possibilidade de progresso e atualização, admitindo que a ocupação colonizadora do Continente Africano pelos europeus determinasse o concomitante desaparecimento dos valores, princípios e instituições africanas. Estas corporificariam formas não-dinâmicas, exclusivamente quietistas e imobilizadas. Tal visão petrificada da África e de suas culturas é uma ficção puramente cerebral. O quilombismo pretende resgatar dessa definição negativista o sentido de organização sócio-econômica concebido para servir à existência humana; organização que existiu na África e que os africanos escravizados trouxeram e praticaram no Brasil. A sociedade brasileira contemporânea pode se beneficiar com o projeto do quilombismo, uma alternativa nacional que se oferece em substituição ao sistema desumano do capitalismo.
+
+x) Xingar não basta. Precisamos é de mobilização e de organização da gente negra, e de uma luta enérgica, sem pausa e sem descanso, contra as destituições que nos atingem. Até que ponto vamos assistir impotentes à cruel exterminação dos nossos irmãos e irmãs afro-brasileiros, principalmente das crianças negras deste país?
+
+y) Yorubás (Nagô) somos também em nossa africanidade brasileira. Os iorubás são parte integrante do nosso povo, da nossa cultura, da nossa religião, da nossa luta e do nosso futuro.
+
+z) Zumbi: fundador do quilombismo.
+
+
+####Propostas de ação para o Governo Brasileiro
+
+O programa de ação quilombista incorpora, devidamente atualizadas, as seguintes propostas apresentadas por este autor ao Colóquio do 2º Festival Mundial de Artes e Culturas Negras e Africanas (Festac), realizado em Lagos, Nigéria, em 1977 (ver Nascimento, Abdias, O Brasil na Mira do Pan-Africanismo, Salvador: CEAO/ EdUFBA, 2002). Naquela ocasião, o autor propôs ao Colóquio recomendar que o Governo Brasileiro
+
+1) permita e estimule a livre e aberta discussão dos problemas dos descendentes de africanos no país; e que encoraje e financie pesquisas sobre a posição econômica, social e cultural ocupada pelos afro-brasileiros dentro da sociedade brasileira, em todos os níveis;
+
+2) localize e publique documentos e outros fatos e informações possivelmente existentes em arquivos privados, cartórios, arquivos de câmara municipal de velhas cidades do interior, referentes ao tráfico negreiro, à escravidão e à abolição; em resumo, qualquer dado que possa ajudar a esclarecer e aprofundar a compreensão da experiência do africano escravizado e de seus descendentes;
+
+3) inclua quesitos sobre raça ou etnia em todos os futuros censos demográficos; que em toda informação que dito governo divulgue, tanto para consumo doméstico como internacional a respeito da composição demográfica do país, não se omita o aspecto da origem racial / étnica;
+
+4) inclua um ativo e compulsório currículo sobre a história e as culturas dos povos africanos, tanto aqueles do continente como os da diáspora; tal currículo deve abranger todos os níveis do sistema educativo: elementar, médio e superior;
+
+5) tome medidas ativas para promover o ensino e o uso prático de línguas africanas, especialmente as línguas ki-swahili e iorubá; o mesmo em relação aos sistemas religiosos africanos e seus fundamentos artísticos; que o dito governo promova válidos programas de intercâmbio cultural com as nações africanas;
+
+6) estude e formule compensações aos afro-brasileiros pelos séculos de escravização criminosa e decênios de discriminação racial depois da abolição; para esse fim deverá drenar recursos financeiros e outros, compulsoriamente originados da Agricultura, do Comércio e da Indústria, setores que historicamente têm sido beneficiados com a exploração do povo negro. Tais recursos constituirão um fundo destinado à construção de moradias, que satisfaçam às exigências da condição humana, em substituição às atuais habitações segregadas onde vive a maioria dos afro-brasileiros: favelas, cortiços, mocambos, porões, cabeças-de-porco, e assim por diante. O fundo sustentaria também a distribuição de terras no interior do país para os negros engajados na produção agropecuária;
+
+7) remova os objetos da arte afro-brasileira assim como os de sentido ritual encontrados hoje em instituições de polícia, de psiquiatria, história e etnografia; e que o dito governo estabeleça museus de arte com finalidade dinâmica e pedagógica de valorização e respeito devidos à cultura afro-brasileira; de preferência, tais museus se localizariam nos estados com significativa população negra, tais como Bahia, Maranhão, Pernambuco, Alagoas, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Sergipe, Rio Grande do Sul;
+
+8) conceda efetivo apoio, material e financeiro, à existentes e futuras associações afro-brasileiras com finalidade de pesquisa, informação e divulgação nos setores de educação, arte, cultura e posição sócio-econômica da população afro-brasileira.
+
+9) tome medidas rigorosas e apropriadas ao efetivo cumprimento da lei Afonso Arinos, fazendo cessar o papel burlesco que tem desempenhado até agora;
+
+10) tome ativas providências, ajuste as realidades do país, para que de nenhuma forma se permita ou possibilite a discriminação racial ou de cor no emprego, garantindo a igualdade de oportunidade que atualmente inexiste entre brancos, negros e outras nuanças étnicas.
+
+11) exerça seu poder através de uma justa política de redistribuição da renda, tornando impraticável que, por causa da profunda desigualdade econômica imperante, o afro-brasileiro seja discriminado, embora sutil e indiretamente, em qualquer nível do sistema educativo, seja o elementar, o médio ou o universitário.
+
+12) estimule ativamente o ingresso de negros no Instituto Rio Branco, órgão de formação de diplomatas pertencente ao Ministério de Relações Exteriores.
+
+13) nomeie negros para o cargo de embaixador e diplomata para as Nações Unidas e junto aos Governos de outros países do mundo.
+
+14) estimule a formação de negros como oficiais superiores das Forças Armadas (Exército, Marinha e Aeronáutica) com promoções no serviço ativo até os postos de general, almirante, brigadeiro e marechal.
+
+15) nomeie negros para os altos escalões do Governo Federal em seus vários ministérios e outras repartições do Executivo, incluindo órgãos superiores como o Conselho Federal de Cultura, o Conselho Federal de Educação, o Conselho de Segurança Nacional, o Tribunal de Contas.
+
+16) estimule e encoraja a formação e o desenvolvimento de uma liderança política negra, representando os interesses específicos da população afro-brasileira no Senado Federal, na Câmara dos Deputados, nas Assembléias Legislativas Estaduais e nas Câmaras Municipais; que o dito Governo nomeie negros para os cargos de juizes estaduais e federais, inclusive para o Supremo Tribunal Federal, Superior Tribunal Eleitoral, Superior Tribunal Militar, Superior Tribunal do Trabalho e o Tribunal Federal de Recursos.
+
+17) concretize sua tão proclamada "amizade" com a África independente e sua tão freqüentemente manifestada posição anticolonialista, dando efetivo apoio diplomático e material aos legítimos movimentos de libertação nacional de Zimbabwe, Namíbia e África do Sul.
+
+####Alguns princípios e propósitos do quilombismo
+
+1. O Quilombismo é um movimento político dos negros brasileiros, objetivando a implantação de um Estado Nacional Quilombista, inspirado no modelo da República dos Palmares, no século XVI, e em outros quilombos que existiram e existem no País.
+
+2. O Estado Nacional Quilombista tem sua base numa sociedade livre, justa, igualitária e soberana. O igualitarismo democrática quilombista é compreendido no tocante a sexo, sociedade, religião, política, justiça, educação, cultura, condição racial, situação econômica, enfim, todas as expressões da vida em sociedade. O mesmo igualitarismo se aplica a todos os níveis do Poder e de instituições públicas e privadas.
+
+3. A finalidade básica do Estado Nacional Quilombista é a de promover a felicidade do ser humano. Para atingir sua finalidade, o quilombismo acredita numa economia de base comunitário-cooperativista no setor da produção, da distribuição e da divisão dos resultados do trabalho coletivo.
+
+4. O quilombismo considera a terra uma propriedade nacional de uso coletivo. As fábricas e outras instalações industriais, assim como todos os bens e instrumentos de produção, da mesma forma que a terra, são de propriedade e uso coletivo da sociedade. Os trabalhadores rurais ou camponeses trabalham a terra e são eles próprios os dirigentes das instituições agropecuárias. Os operários da indústria e os trabalhadores de modo geral são os produtores dos objetos industriais e os únicos responsáveis pela orientação e gerência de suas respectivas unidades de produção.
+
+5. No quilombismo o trabalho é um direito e uma obrigação social, e os trabalhadores, que criam a riqueza agrícola e industrial da sociedade quilombista, são os únicos donos do produto do seu trabalho.
+
+6. A criança negra tem sido a vítima predileta e indefesa da miséria material e moral imposta à comunidade afro-brasileira. Por isso, ela constitui a preocupação urgente e prioritária do quilombismo. Atendimento pré-natal, amparo à maternidade, creches, alimentação adequada, moradia higiênica e humana, são alguns dos itens relacionados à criança negra que figuram no programa de ação do movimento quilombista.
+
+7. A educação e o ensino em todos os graus - elementar, médio e superior - serão completamente gratuitos e abertos sem distinção a todos os membros da sociedade quilombista. A história da África, das culturas, das civilizações e das artes africanas terão um lugar eminente nos currículos escolares. Criar uma Universidade Afro-Brasileira é uma necessidade dentro do programa quilombista.
+
+8. Visando o quilombismo a fundação de uma sociedade criativa, ele procurará estimular todas as potencialidades do ser humano e sua plena realização. Combater o embrutecimento causado pelo hábito, pela miséria, pela mecanização da existência e pela burocratização das relações humanas e sociais, é um ponto fundamental. As artes em geral ocuparão um espaço básico no sistema educativo e no contexto das atividades sociais.
+
+9. No quilombismo não haverá religiões e religiões populares, isto é, religião da elite e religiões do povo. Todas as religiões merecem igual tratamento de respeito e de garantias de culto.
+
+10. O Estado quilombista proíbe a existência de um aparato burocrático estatal que perturbe ou interfira com a mobilidade vertical das classes trabalhadoras e marginalizadas em relação direta com os dirigentes. Na relação dialética dos membros da sociedade com as suas instituições repousa o sentido progressista e dinâmico do quilombismo.
+
+11. A revolução quilombista é fundamentalmente anti-racista, anticapitalista, antilatifundiária, antiimperialista e antineocolonialista.
+
+12. Em todos os órgãos do Poder do Estado Quilombista - Legislativo, Executivo e Judiciário - a metade dos cargos de confiança, dos cargos eletivos, ou dos cargos por nomeação, deverão, por imperativo constitucional, ser ocupados por mulheres. O mesmo se aplica a todo e qualquer setor ou instituição de serviço público.
+
+13. O quilombismo considera a transformação das relações de produção, e da sociedade de modo geral, por meios não-violentos e democráticos, uma via possível.
+
+14. É matéria urgente para o quilombismo a organização de uma instituição econômico-financeira em moldes cooperativos, capaz de assegurar a manutenção e a expansão da luta quilombista a salvo das interferências controladoras do paternalismo ou das pressões do Poder econômico.

(Diff truncated)
attachment upload
diff --git a/posts/Quilombismo/quilombismo.jpg b/posts/Quilombismo/quilombismo.jpg
new file mode 100644
index 0000000..c3094d9
Binary files /dev/null and b/posts/Quilombismo/quilombismo.jpg differ

diff --git a/index.mdwn b/index.mdwn
index 40976bb..f02049b 100644
--- a/index.mdwn
+++ b/index.mdwn
@@ -145,9 +145,9 @@ Projeto de apropriação tecnologica radiofonica de fortalecimento de bases etni
 
 ### RADIO LIVRE QUEBRADA RBG 
 
->>>>>><aside id="text-2" class="widget widget_text"><h3 class="widget-title">Web Radio Livre Quebrada RBG </h3>			<div class="textwidget"><audio style="width: 300px; margin-bottom: 0px;" autoplay="autoplay" controls="controls" preload=none id='player'> 	<source src='http://orelha.radiolivre.org:8000/radiorbg' type='audio/mp3'><p>Your browser doesn't support HTML audio. Sorry.</p></audio></div>
+>>>>>><aside id="text-2" class="widget widget_text"><h3 class="widget-title">Web Radio RBG </h3>			<div class="textwidget"><audio style="width: 300px; margin-bottom: 0px;" autoplay="autoplay" controls="controls" preload=none id='player'> 	<source src='http://orelha.radiolivre.org:8000/radiorbg.mp3' type='audio/mp3'><p>Your browser doesn't support HTML audio. Sorry.</p></audio></div>
 
->>>>><p><a href="http://icecast.taina.net.br/radioquebrada.mp3" target="iframe_a"> Me aperta pra Ouvir)</a></p> 
+>>>>><p><a href="http://orelha.radiolivre.org:8000/radiorbg.mp3" target="iframe_a"> Me aperta pra Ouvir)</a></p> 
 
 
 

diff --git a/index.mdwn b/index.mdwn
index 2649aa1..40976bb 100644
--- a/index.mdwn
+++ b/index.mdwn
@@ -145,7 +145,7 @@ Projeto de apropriação tecnologica radiofonica de fortalecimento de bases etni
 
 ### RADIO LIVRE QUEBRADA RBG 
 
->>>>>><aside id="text-2" class="widget widget_text"><h3 class="widget-title">Web Radio Livre Quebrada RBG </h3>			<div class="textwidget"><audio style="width: 300px; margin-bottom: 0px;" autoplay="autoplay" controls="controls" preload=none id='player'> 	<source src='http://icecast.taina.net.br/radioquebrada.mp3' type='audio/mp3'><p>Your browser doesn't support HTML audio. Sorry.</p></audio></div>
+>>>>>><aside id="text-2" class="widget widget_text"><h3 class="widget-title">Web Radio Livre Quebrada RBG </h3>			<div class="textwidget"><audio style="width: 300px; margin-bottom: 0px;" autoplay="autoplay" controls="controls" preload=none id='player'> 	<source src='http://orelha.radiolivre.org:8000/radiorbg' type='audio/mp3'><p>Your browser doesn't support HTML audio. Sorry.</p></audio></div>
 
 >>>>><p><a href="http://icecast.taina.net.br/radioquebrada.mp3" target="iframe_a"> Me aperta pra Ouvir)</a></p> 
 

diff --git a/index.mdwn b/index.mdwn
index fc8ea0a..2649aa1 100644
--- a/index.mdwn
+++ b/index.mdwn
@@ -87,31 +87,31 @@ Vamos responder isso juntos!!!
 
 
 
-Sobre
+###Sobre
 
-Sou o MIl ONilètó , comunicador comunitário, ativista militante dos direitos humanos e atuante na luta contra o racismo. 
+MIl ONilètó , comunicador comunitário, ativista militante dos direitos civis e atuante na luta contra a supremacia brankkka e toda forma de opressão e suas facetas de colonizações, sejam elas de ordem sociais ou digitais. 
 
 Criador de uma organização chamada kilombu15, que tem como finalidade ser uma base de fortalecimento comunitário. atraves da comunicação, esporte, cultura e ancestralidade. vem realizando trabalhos com crianças jovens e adultos da comunidade do João Paulo em São Luis do Maranhão. 
 
-PROJETO BLACK PANTHERS 
+####PROJETO BLACK PANTHERS 
 
 Oferece aulas de jiujitsu e taekwondo para crianças, jovens e adultos do joão paulo e redondeza.tendo atendido desde o inicio de suas atividades mais 1000 crianças, tendo participado da formação de varios jovens e adultos,
 
 
-MAPA LAGBAYE LYIKA 
+####MAPA LAGBAYE LYIKA 
 
 
 Ferramenta de georeferenciamento, onde as comunidades atendidas tem a possibilidades de enviar relatos pra falar do seu cotidiano, contar historias, compartilhar conhecimentos estando conectado a uma rede de pessoas e comunidades que ultilizam o mapa como banco de dados descentralizado assim como ferramenta de denuncia em tempo real. 
 
 Todos os relatos que chegam no mapa lagbaye lyika pode ser redirecionado para toda rede criando um post alerta para todos os afins, mantendo em sigilo o enviante da denuncia caso seja necessario. possibilitando inclusive a tabulação desses dados e download
 
-CINE QUEBRADA 
+####CINE QUEBRADA 
 
 
 Ação direta com o cinema, onde o objetivo é pecorrer as mais remotas comunidades perifericas de são luis e exibir filmes e documentarios para os moradores. completando 25 edições o projeto tem um acumulo de historias muito fortalcedoras, deixando a mostra o poder de mobilização do cinema para a comunicação de base formativa. 
 
 
-ONILUS TAMBORES 
+####ONILUS TAMBORES 
 
 
 Cooperativa de fazedores de tambores e instrumentos de percussão afro brasileiro africano e Maranhense. reafirmando a importancia do mestre fazedor de tambor pra manutenção da cultura de um povo. com esse mote a cooperativa busca ser um ponto de encontro e troca de conhecimento e experiência sobre a cultura do tambor, evitando o turismo predatorio e fortalecendo as comunidades graças ao turismo de base etnico comunitaria que mantenha um ciclo de troca saudavel entre as comunudade e publico externo, contando historias atravez do tambor. 
@@ -120,7 +120,7 @@ A onilus concentra sua atuação na arte mais tradicional possibel, conservando
 
 
 
-Rede de Radio web e tv Cine Quebrada
+####Rede de Radio web e tv Cine Quebrada
 
 
 Surgindo como uma necessidade de se comunicar e na busca de reativação da Rádio conquista fm, nasce a rbg Rádio, com a proposta de ser um rádio descentralizada, sendo tocada de diversos lugares do Brasil durante a semana. 

diff --git a/index.mdwn b/index.mdwn
index 164571b..fc8ea0a 100644
--- a/index.mdwn
+++ b/index.mdwn
@@ -85,10 +85,48 @@ Vamos responder isso juntos!!!
 
 >>####“Vamos fazer um mundo mais do nosso jeito” (Rei Zumbi dos Palmares)
 
->>>><iframe src="https://www.google.com/maps/d/embed?mid=10MRtNd8rxu3iR4c_0H47pw85gis&hl=pt-BR" width="640" height="480"></iframe>
 
 
------------------------------------------------------------------------------------
+Sobre
+
+Sou o MIl ONilètó , comunicador comunitário, ativista militante dos direitos humanos e atuante na luta contra o racismo. 
+
+Criador de uma organização chamada kilombu15, que tem como finalidade ser uma base de fortalecimento comunitário. atraves da comunicação, esporte, cultura e ancestralidade. vem realizando trabalhos com crianças jovens e adultos da comunidade do João Paulo em São Luis do Maranhão. 
+
+PROJETO BLACK PANTHERS 
+
+Oferece aulas de jiujitsu e taekwondo para crianças, jovens e adultos do joão paulo e redondeza.tendo atendido desde o inicio de suas atividades mais 1000 crianças, tendo participado da formação de varios jovens e adultos,
+
+
+MAPA LAGBAYE LYIKA 
+
+
+Ferramenta de georeferenciamento, onde as comunidades atendidas tem a possibilidades de enviar relatos pra falar do seu cotidiano, contar historias, compartilhar conhecimentos estando conectado a uma rede de pessoas e comunidades que ultilizam o mapa como banco de dados descentralizado assim como ferramenta de denuncia em tempo real. 
+
+Todos os relatos que chegam no mapa lagbaye lyika pode ser redirecionado para toda rede criando um post alerta para todos os afins, mantendo em sigilo o enviante da denuncia caso seja necessario. possibilitando inclusive a tabulação desses dados e download
+
+CINE QUEBRADA 
+
+
+Ação direta com o cinema, onde o objetivo é pecorrer as mais remotas comunidades perifericas de são luis e exibir filmes e documentarios para os moradores. completando 25 edições o projeto tem um acumulo de historias muito fortalcedoras, deixando a mostra o poder de mobilização do cinema para a comunicação de base formativa. 
+
+
+ONILUS TAMBORES 
+
+
+Cooperativa de fazedores de tambores e instrumentos de percussão afro brasileiro africano e Maranhense. reafirmando a importancia do mestre fazedor de tambor pra manutenção da cultura de um povo. com esse mote a cooperativa busca ser um ponto de encontro e troca de conhecimento e experiência sobre a cultura do tambor, evitando o turismo predatorio e fortalecendo as comunidades graças ao turismo de base etnico comunitaria que mantenha um ciclo de troca saudavel entre as comunudade e publico externo, contando historias atravez do tambor. 
+
+A onilus concentra sua atuação na arte mais tradicional possibel, conservando arte de dobras de madeiras e afinações a cordas.  e tem dividido essas informações com diversas comunidades da Amazônia, tendo levado o trabalho da onilus tambores até o Peru, assim como nas cidades Brasileiras de ILheus, Itacare, Belem e outras por onde a onilus tem dividido pegadas. 
+
+
+
+Rede de Radio web e tv Cine Quebrada
+
+
+Surgindo como uma necessidade de se comunicar e na busca de reativação da Rádio conquista fm, nasce a rbg Rádio, com a proposta de ser um rádio descentralizada, sendo tocada de diversos lugares do Brasil durante a semana. 
+
+
+assim como a tv web Cine Quebrada que possibilita fazer stream ao vivo diretamente do celular. sendo exibido doretamente no portal de comunicação do projeto;
 
 
 # REDE COLABORATIVA DE RADIOS WEB LIVRES
@@ -109,7 +147,34 @@ Projeto de apropriação tecnologica radiofonica de fortalecimento de bases etni
 
 >>>>>><aside id="text-2" class="widget widget_text"><h3 class="widget-title">Web Radio Livre Quebrada RBG </h3>			<div class="textwidget"><audio style="width: 300px; margin-bottom: 0px;" autoplay="autoplay" controls="controls" preload=none id='player'> 	<source src='http://icecast.taina.net.br/radioquebrada.mp3' type='audio/mp3'><p>Your browser doesn't support HTML audio. Sorry.</p></audio></div>
 
->>>>><p><a href="http://icecast.taina.net.br/radioquebrada.mp3" target="iframe_a"> Me aperta pra Ouvir)</a></p>
+>>>>><p><a href="http://icecast.taina.net.br/radioquebrada.mp3" target="iframe_a"> Me aperta pra Ouvir)</a></p> 
+
+
+
+
+Endereço
+
+São Luís - Maranhão - MA
+
+Telefone
+
+(98) 9861-33635
+
+Celular
+
+98986133635
+
+E-mail
+
+kilombu15@riseup.net
+
+
+>>>><iframe src="https://www.google.com/maps/d/embed?mid=10MRtNd8rxu3iR4c_0H47pw85gis&hl=pt-BR" width="640" height="480"></iframe>
+
+
+-----------------------------------------------------------------------------------
+
+
 
 
 >##Arquivos

resist
diff --git "a/posts/12_de_Octubre___8211___D\303\255a_de_la_Resistencia___8220__Inform\303\241tica__8221__.mdwn" "b/posts/12_de_Octubre___8211___D\303\255a_de_la_Resistencia___8220__Inform\303\241tica__8221__.mdwn"
new file mode 100644
index 0000000..4f515da
--- /dev/null
+++ "b/posts/12_de_Octubre___8211___D\303\255a_de_la_Resistencia___8220__Inform\303\241tica__8221__.mdwn"
@@ -0,0 +1,35 @@
+[[!img  resistencia-indigena-768x210.jpg size="668x210" alt="clouds"]]
+##Um encontro para lutar contra todos os tipos de colonização, inclusive o tecnológico.
+
+Em 12 de outubro, tradicionalmente, a data em que os "conquistadores" espanhóis "descobriram" a América é celebrada. Para o povo de Abya Yala (assim chamaram o continente antes da chegada dos invasores), este dia não é uma data de celebrações, mas para lembrar a resistência indígena à invasão.
+
+Mas por que nos lembramos dessa colonização em rádios livres? Bem, porque é uma desculpa perfeita para falar sobre outro tipo de colonização, que invadiu nossas cabeças e computadores. Invasões mais normalizadas contra as quais apresentamos menos resistência e até mesmo justificamos com argumentos como "é que leva muito tempo para se libertar", "é um esforço muito grande", "nem tudo funciona tão bem" e um longo etc.
+
+####Que tipo de colonização tecnológica teríamos que resistir?
+
+####Eles colonizaram nossa língua
+Nós não abrimos o processador de texto, mas "palavra". Nós não pedimos que você nos envie uma planilha, mas um "excel". Não pesquisamos mais na Internet, apenas "google". E quando modificamos uma foto somos "phothosopeando".
+
+Palavras são fundamentais quando se trata de construir a realidade. Comece a nomear as coisas corretamente é o princípio de concebê-las de forma diferente. Algo que parece óbvio nas questões de gênero, onde assumimos a necessidade de usar uma linguagem inclusiva para tornar as médicas visíveis, ainda é difícil para nós em questões de tecnologia.
+
+####Eles colonizaram nossos computadores
+E eles fizeram isso tão bem que vemos normal que quando compramos um computador vem com um sistema operacional pré-instalado. Software que, além disso, é cada vez mais complexo para desinstalar. É como se comprássemos um player de música e ele já viesse com as músicas que os fornecedores decidiram que tínhamos que ouvir e nos impedir de ouvir os outros. A propósito, o software que vem pré-instalado não é gratuito, é parte do preço que pagamos quando compramos o computador.
+
+####Eles colonizaram nossas escolas e universidades
+Com a estratégia eficiente de "dar licenças" educacionais, os sistemas proprietários estavam se infiltrando nos computadores de faculdades e universidades. Os alunos consomem a primeira dose de software proprietário e ficam ligados para sempre. Quando chegam a um emprego, pedem para trabalhar com os programas que conhecem e as empresas exigem que saibam como lidar com os programas que "usam o mercado".
+
+Um círculo vicioso imposto pelas grandes multinacionais de software que poderiam ser quebradas, forçando o sistema educacional a ensinar as duas alternativas, privadas e livres, e os estudantes ou trabalhadores que escolherem.
+
+####Eles colonizaram nossos princípios
+Enquanto em outras frentes os movimentos sociais não têm dúvida de quem são os antagonistas (extrativistas, mineradores, agronegócios, maquilas, ...) no campo da tecnologia, tudo se torna mais difuso. Por exemplo, nós justificamos usar "ferramentas do império" (Facebook, Google, ..) e aceitar todas as suas condições para "fazer a revolução de dentro" ou "porque há todo mundo", mas nunca usaríamos argumentos semelhantes para concordar com associações mídia privada.
+
+Ainda existem aqueles que acreditam que instalar software ilegal ("pirata") em seus computadores é uma forma de resistência contra o monopólio proprietário de software. Mas certamente eles nunca encorajariam o plantio de sementes transgênicas, mesmo que não tivessem que pagar por elas.
+
+Nós adiamos os processos de migração alegando que "leva muito tempo para aprender novos programas", mas certamente censuramos alguém que diz fazer uma conversa apenas com economistas ou cientistas, porque há muito mais e levaria mais tempo para encontrar mulheres com essa profissão. .
+
+Por essa razão, a partir das Rádios Livres, queremos propor que no dia 12 de outubro, além do dia da Resistência Indígena, celebremos o dia da "Resistência à Computação". Uma data para promover a descolonização tecnológica de nossos computadores e, acima de tudo, de nossas cabeças. Também é próprio! Porque ainda estou invadido por muitos desses preconceitos e resistências.
+
+Postado em Home, Tecnologia, Sociedade e SoftwareLivre, Parecer, 32/2018 -
+Laboratórios Cidadãos
+
+tradução: Mil Onilètó (IrmandadeMalês - Etertic Brasil)

attachment upload
diff --git "a/posts/12_de_Octubre___8211___D\303\255a_de_la_Resistencia___8220__Inform\303\241tica__8221__/resistencia-indigena-768x210.jpg" "b/posts/12_de_Octubre___8211___D\303\255a_de_la_Resistencia___8220__Inform\303\241tica__8221__/resistencia-indigena-768x210.jpg"
new file mode 100644
index 0000000..3d4c92b
Binary files /dev/null and "b/posts/12_de_Octubre___8211___D\303\255a_de_la_Resistencia___8220__Inform\303\241tica__8221__/resistencia-indigena-768x210.jpg" differ

diff --git a/index.mdwn b/index.mdwn
index 1f2eee8..164571b 100644
--- a/index.mdwn
+++ b/index.mdwn
@@ -34,34 +34,8 @@ pagebody {
 >><iframe height="450px" width="75%" src="//tv.taina.net.br/fp/tvtambor.html" name="iframe_a"></iframe>
 >>>>><p><a href="http://tv.taina.net.br/fp/tvtambor.html" target="iframe_a"> Me aperta pra assistir tela cheia)</a></p>
 	
-Projeto de apropriação tecnológica de técnicas de transmissão ao vivo e em grade de programação colaborativa pensando um outro formato e ideia de televisão afrocentrada!
-----------------------------------------
-
-
-
-
-# REDE COLABORATIVA DE RADIOS WEB LIVRES
-
-Projeto de apropriação tecnologica radiofonica de fortalecimento de bases etnicos comunitárias atravez de tecnologias de comunicação via radios web livres. 
-
->>>>>><aside id="text-2" class="widget widget_text"><h3 class="widget-title"> Radio Livre Zeferina Beiru </h3>			<div class="textwidget"><audio style="width: 300px; margin-bottom: 0px;" autoplay="autoplay" controls="controls" preload=none id='player'> 	<source src='https://orelha.radiolivre.org:8000/radiozeferinabeiru.mp3' type='audio/mp3'><p>Your browser doesn't support HTML audio. Sorry.</p></audio></div>
-
->>>>><p><a href="https://radios.radiosyculturalibre.com.ar/rbgradio.ogg" target="iframe_a"> Me aperta pra Ouvir)</a></p>
-
-### WEB RADIO CONQUISTA
-
->>>>>><aside id="text-2" class="widget widget_text"><h3 class="widget-title">Web Radio Conquista </h3>			<div class="textwidget"><audio style="width: 300px; margin-bottom: 0px;" autoplay="autoplay" controls="controls" preload=none id='player'> 	<source src='https://radios.radiosyculturalibre.com.ar/radioconquista.ogg' type='audio/mp3'><p>Your browser doesn't support HTML audio. Sorry.</p></audio></div>
-
->>>>><p><a href="https://radios.radiosyculturalibre.com.ar/radioconquista.ogg" target="iframe_a"> Me aperta pra Ouvir)</a></p>
-
-### RADIO LIVRE QUEBRADA RBG 
-
->>>>>><aside id="text-2" class="widget widget_text"><h3 class="widget-title">Web Radio Livre Quebrada RBG </h3>			<div class="textwidget"><audio style="width: 300px; margin-bottom: 0px;" autoplay="autoplay" controls="controls" preload=none id='player'> 	<source src='http://icecast.taina.net.br/radioquebrada.mp3' type='audio/mp3'><p>Your browser doesn't support HTML audio. Sorry.</p></audio></div>
-
->>>>><p><a href="http://icecast.taina.net.br/radioquebrada.mp3" target="iframe_a"> Me aperta pra Ouvir)</a></p>
-
 
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
+----------------------------------------
 
 
 # Wiki/SITE COLABORATIVO
@@ -114,6 +88,30 @@ Vamos responder isso juntos!!!
 >>>><iframe src="https://www.google.com/maps/d/embed?mid=10MRtNd8rxu3iR4c_0H47pw85gis&hl=pt-BR" width="640" height="480"></iframe>
 
 
+-----------------------------------------------------------------------------------
+
+
+# REDE COLABORATIVA DE RADIOS WEB LIVRES
+
+Projeto de apropriação tecnologica radiofonica de fortalecimento de bases etnicos comunitárias atravez de tecnologias de comunicação via radios web livres. 
+
+>>>>>><aside id="text-2" class="widget widget_text"><h3 class="widget-title"> Radio Livre Zeferina Beiru </h3>			<div class="textwidget"><audio style="width: 300px; margin-bottom: 0px;" autoplay="autoplay" controls="controls" preload=none id='player'> 	<source src='https://orelha.radiolivre.org:8000/radiozeferinabeiru.mp3' type='audio/mp3'><p>Your browser doesn't support HTML audio. Sorry.</p></audio></div>
+
+>>>>><p><a href="https://radios.radiosyculturalibre.com.ar/rbgradio.ogg" target="iframe_a"> Me aperta pra Ouvir)</a></p>
+
+### WEB RADIO CONQUISTA
+
+>>>>>><aside id="text-2" class="widget widget_text"><h3 class="widget-title">Web Radio Conquista </h3>			<div class="textwidget"><audio style="width: 300px; margin-bottom: 0px;" autoplay="autoplay" controls="controls" preload=none id='player'> 	<source src='https://radios.radiosyculturalibre.com.ar/radioconquista.ogg' type='audio/mp3'><p>Your browser doesn't support HTML audio. Sorry.</p></audio></div>
+
+>>>>><p><a href="https://radios.radiosyculturalibre.com.ar/radioconquista.ogg" target="iframe_a"> Me aperta pra Ouvir)</a></p>
+
+### RADIO LIVRE QUEBRADA RBG 
+
+>>>>>><aside id="text-2" class="widget widget_text"><h3 class="widget-title">Web Radio Livre Quebrada RBG </h3>			<div class="textwidget"><audio style="width: 300px; margin-bottom: 0px;" autoplay="autoplay" controls="controls" preload=none id='player'> 	<source src='http://icecast.taina.net.br/radioquebrada.mp3' type='audio/mp3'><p>Your browser doesn't support HTML audio. Sorry.</p></audio></div>
+
+>>>>><p><a href="http://icecast.taina.net.br/radioquebrada.mp3" target="iframe_a"> Me aperta pra Ouvir)</a></p>
+
+
 >##Arquivos
 
 

removed
diff --git "a/posts/TRA\303\207OS_DA_HIST\303\223RIA_DO_BAIRRO_ARENOSO_E_O_QUILOMBISMO_DA_BIBLIOTECA_COMUNIT\303\201RIA_ZEFERINA-BEIRU.mdwn" "b/posts/TRA\303\207OS_DA_HIST\303\223RIA_DO_BAIRRO_ARENOSO_E_O_QUILOMBISMO_DA_BIBLIOTECA_COMUNIT\303\201RIA_ZEFERINA-BEIRU.mdwn"
deleted file mode 100644
index 8d56516..0000000
--- "a/posts/TRA\303\207OS_DA_HIST\303\223RIA_DO_BAIRRO_ARENOSO_E_O_QUILOMBISMO_DA_BIBLIOTECA_COMUNIT\303\201RIA_ZEFERINA-BEIRU.mdwn"
+++ /dev/null
@@ -1,43 +0,0 @@
-## Rádio Livre Zeferina Beiru
-
-
->>>>>><aside id="text-2" class="widget widget_text"><h3 class="widget-title"> Radio Livre Zeferina Beiru </h3>			<div class="textwidget"><audio style="width: 300px; margin-bottom: 0px;" autoplay="autoplay" controls="controls" preload=none id='player'> 	<source src='https://orelha.radiolivre.org:8000/radiozeferinabeiru.mp3' type='audio/mp3'><p>Your browser doesn't support HTML audio. Sorry.</p></audio></div>
-
->>>>><p><a href="https://radios.radiosyculturalibre.com.ar/rbgradio.ogg" target="iframe_a"> Me aperta pra Ouvir)</a></p>
-
-
-
- TRAÇOS DA HISTÓRIA DO BAIRRO ARENOSO E O QUILOMBISMO DA BIBLIOTECA COMUNITÁRIA ZEFERINA-BEIRU 
-
-[[!img  defaults size=400x400 alt="wedding photo"]]
-[[!img  índice.jpeg]]
-[[!img  galera.jpeg]]
-[[!img  biblioteca-zeferina-300x200.jpg]]
-
->>>>>> # Aos guerreiros Diego Santos e Hugo Gabriel
-
-As histórias tiradas do solo trazem rastros de pegadas e se o solo for arenoso pode tingir de vermelho os pés, deixar evidente, para os novos andantes, os passos dos ancestrais. Os mais velhos diluíram em concreto o arenoso, compuseram vigas com ele, construíram casas, avenidas, formaram o bairro Arenoso que compõe também a região onde, no século XIX, fora o quilombo do Cabula.
-
-O Arenoso está localizado próximo aos bairros Beiru, Cabula 6, Sussuarana, Nova Sussuarna, Novo Horizonte e CAB. Está no centro geográfico da Cidade do Salvador-ba. E até o ano de 1940 fazia parte do bairro Beiru, como se pode ver no livro Beiru (2007), lançado pela Associação Comunitária e Carnavalesca Mundo Negro. O livro é um compendio de informações sobre a região: fotos, escrituras, abaixos assinados e textos falando sobre o arquétipo ancestral, Beiru, e os herdeiros da região.
-
-A separação ou o desdobramento de parte do Beiru em Arenoso ocorreu por intervenção mítica, ou melhor, por mediação dos orixás, segundo relatos advindos do testemunho oral: em 1940 após uma chuva com trovoada, desígnios de Xangô, orixá da sabedoria e da justiça, e também com relâmpagos, poder de Iansã, a região foi separada; houve uma cisão geográfica natural. Além disso, havia um pé de umbu que a ventania arrancou com a chuva e um dos herdeiros das terras, chamado de Cara de Vaca percebeu que poderia ficar rico com a terra que estava por baixo de onde saiu à raiz do umbuzeiro. Era arenoso. Foram coletados três tipos de solo do local para o DRM Serviço Geológico do Estado e um engenheiro diagnosticou que os mesmos serviam para pavimentar ruas e construções. Ocorreu, assim, a tentativa de vender as terras para DRM, o valor do arenoso era um pouco semelhante como petróleo hoje, a empresa não teve condições de pagar, então colocou a serviço as caçambas e as máquinas para a extração e todo esse processo levou o bairro a se chamar Arenoso.
-
-No bairro, durante a segunda metade do século XX, estava em atividade um grande terreiro, chamado de Asé do Beiru ou Ilê Axé Tomin Bokun. Ele era o santuário de expressão da religião e culturas bantos no Brasil, comandado por um dos tatas (babalorixas) mais poderosos do país, Manoel Rufino de Souza. Seu nome hoje nomeia uma das avenidas do bairro. E o espaço onde era o terreiro após sua morte, foi vendido para Igreja Universal.
-
-rufino do BeiruManoel Rufino
-
-
-[[!img rufino-do-beiru.jpg]]
-
-rufino do BeiruManoel Rufino
-
- Outra instituição religiosa importante na região é o Ilê Axé Gezubum Santa Cruz, fundado em 1940 por mãe Rosalina Santiago dos Santos. O terreiro tem funcionamento até hoje e teve, ha poucos anos, a morte de sua grande sacerdotisa, que ficou durante 36 anos à frente da roça, Mãe Clarice Santiago Santos, mais conhecida como Minha Gal.
-
-Um dos aspectos relevantes do subdistrito é o forte comércio de bens e serviços: mercadinhos, lanchonetes, padarias, salões de beleza que dinamizam a comunidade. Além de muitas pessoas que trabalham vendendo frutas nas feiras livres. O Arenoso possui uma estrutura demográfica densa como a maioria dos bairros periféricos de Salvador; assomam-se às casas que formam o horizonte da periferia, com pessoas que comungam trocas solidárias e tentam resistir à violência do estado, ao racismo (detritos de exclusão) e ao genocídio impetrado à juventude negra.
-
-Outro espaço importante na região é o Centro Comunitário do Arenoso (antigo Cine teatro) que estava totalmente abandonado pelos órgãos públicos, mas que no ano de 2015 um grupo de jovens do bairro, do entorno e de outras periferias da cidade, referenciados pela história de luta dos ancestrais, conseguiram inaugurar no dia 28 e 29 de novembro, para a comunidade, a Biblioteca Comunitária Zeferina-Beiru.
-
-Assim, os rastros arenosos dos antepassados foram retomados no quilombismo dos mutirões, na reforma; no olhar plácido da mais velha ao ver o grafite embelezando a parede; nas brincadeiras das crianças, erês inspiradores; na poesia que transpôs os anseios e as revoltas; na música, papo reto; na solidariedade comunitária para retomarmos o quilombo e fazermos a transformação.
-
-Davi Nunes é colaborador do portal SoteroPreta, mestrando no Programa de Pós-graduação em Estudos de Linguagem- PPGEL/UNEB, poeta, contista e escritor de livro Infantil
-

diff --git a/index.mdwn b/index.mdwn
index 3404822..1f2eee8 100644
--- a/index.mdwn
+++ b/index.mdwn
@@ -93,7 +93,6 @@ O núcleo Gbara Dudu trabalha o social através do digital desde 2010, baseando
         ____________________________/             )______  \ "  \____________________________ _ _ _
 
 
->>>><iframe src="https://www.google.com/maps/d/embed?mid=10MRtNd8rxu3iR4c_0H47pw85gis&hl=pt-BR" width="640" height="480"></iframe>
 
 ### Tambores como avançadas tecnologias de comunicação
 
@@ -112,6 +111,9 @@ Vamos responder isso juntos!!!
 
 >>####“Vamos fazer um mundo mais do nosso jeito” (Rei Zumbi dos Palmares)
 
+>>>><iframe src="https://www.google.com/maps/d/embed?mid=10MRtNd8rxu3iR4c_0H47pw85gis&hl=pt-BR" width="640" height="480"></iframe>
+
+
 >##Arquivos
 
 

diff --git a/index.mdwn b/index.mdwn
index 23ddbea..3404822 100644
--- a/index.mdwn
+++ b/index.mdwn
@@ -74,9 +74,9 @@ Plataforma colaborativa de texto, com ideia de ser um acumulador de materiais di
 
 
 
-## Afrocentrismo Digital e Apropriação Tecnológica
+## Kilombismo Digital e Apropriação Tecnológica
 
-O Núcleo Gbara Dudu/Centro Cultural Alagbedê  – Maranhão é um espaço de convivência pan-africanista com enfoque na apropriação tecnológica e introdução a software livre gnu linux, desmitificando a distancia que foi imposta para o povo e comunidades tradicionais e de matriz africana em diáspora.  
+O Núcleo Gbara Dudu/Centro Cultural Alagbedê  – que nasce no Maranhão no terreiro Ile Axé Alagbede Olodumare, liderado pela Yalorisa Venina D'Ogum, é um espaço de convivência pan-africanista com enfoque na apropriação tecnológica e introdução a software livre gnu linux, desmitificando a distancia que foi imposta para o povo e comunidades tradicionais e de matriz africana em diáspora.  
 Tem como propósito de instrumentalizar e difundir uma utilização crítica da informática e meios tecnológicos. Seguindo os ideais palmarinos e garveista, encontra no pan-africanismo a forma de luta na busca da reapropriação do território digital, descolonização desse formato embranquecido e aprisionador em um mundo proprietário (windows) onde só o ganho capitalizado/Embranquecido está em jogo.
 
 O núcleo Gbara Dudu trabalha o social através do digital desde 2010, baseando na autonomia de forma colaborativa na rede, em diversas partes do País, pensando o território além do geográfico, porque acreditamos que o território tecnológico/digital é um importante meio de ser apropriado pela massa. Povo preto e comunidades tradicionais, descolonizando de uma vez e levando o poder de comunicação livre pra todos os cantos desse mundo preto.

diff --git a/index.mdwn b/index.mdwn
index 1b4ede0..23ddbea 100644
--- a/index.mdwn
+++ b/index.mdwn
@@ -128,11 +128,11 @@ actions=yes rootpage="posts"]]
 
 ##Apresentação
 
-*[[Quem Somos]]
+* [[Quem Somos]]
 
-*[[qual o papo]]
+* [[qual o papo]]
 
-*[[Histórico]]
+* [[Histórico]]
 
 
 ###Ferramentas !

diff --git a/index.mdwn b/index.mdwn
index 3d7e36a..1b4ede0 100644
--- a/index.mdwn
+++ b/index.mdwn
@@ -93,7 +93,7 @@ O núcleo Gbara Dudu trabalha o social através do digital desde 2010, baseando
         ____________________________/             )______  \ "  \____________________________ _ _ _
 
 
->>>>>><iframe src="https://www.google.com/maps/d/embed?mid=10MRtNd8rxu3iR4c_0H47pw85gis&hl=pt-BR" width="640" height="480"></iframe>
+>>>><iframe src="https://www.google.com/maps/d/embed?mid=10MRtNd8rxu3iR4c_0H47pw85gis&hl=pt-BR" width="640" height="480"></iframe>
 
 ### Tambores como avançadas tecnologias de comunicação
 

diff --git a/index.mdwn b/index.mdwn
index 0c87911..3d7e36a 100644
--- a/index.mdwn
+++ b/index.mdwn
@@ -72,8 +72,7 @@ Projeto de apropriação tecnologica radiofonica de fortalecimento de bases etni
  
 Plataforma colaborativa de texto, com ideia de ser um acumulador de materiais diversos para reflexões pretas com ideais pan-africanista / Mulherismo africana atraves do debate pratico sobre a descolonização digital, apropriação tecnologica e afrocentrismo digital. Pontuando a importância da tecnologia para a revolução preta, trazemos uma açãos  afirmantiva voltadas aos conhecimentos tradicionais das comunidades pretas  reconhecendo com criadores e utilizadores de tecnologias sociais, sobretudo as que fortalecem os fatores comunicacionais para as diversos povos e comunidades tradicionais. 
 
-<div class="video_overlay"></div>
-<iframe data-code="h_xM5dQrwFM" data-provider="youtube" src="https://www.youtube.com/embed/h_xM5dQrwFM?rel=0&amp;modestbranding=1&amp;controls=0&amp;showinfo=0&amp;fs=0&amp;wmode=transparent" data-src="https://www.youtube.com/watch?v=DZjSwWw1HtMp;modestbranding=1&amp;controls=0&amp;showinfo=0&amp;fs=0&amp;wmode=transparent" frameborder="0" allowfullscreen=""></iframe></div>
+
 
 ## Afrocentrismo Digital e Apropriação Tecnológica
 

diff --git a/index.mdwn b/index.mdwn
index 9cf7cc2..0c87911 100644
--- a/index.mdwn
+++ b/index.mdwn
@@ -92,10 +92,12 @@ O núcleo Gbara Dudu trabalha o social através do digital desde 2010, baseando
                                       /         )           /_ > 
                                      (           \         _(x)_   Pan-africanizando nossos dias!
         ____________________________/             )______  \ "  \____________________________ _ _ _
-### Tambores como avançadas tecnologias de comunicação
+
 
 >>>>>><iframe src="https://www.google.com/maps/d/embed?mid=10MRtNd8rxu3iR4c_0H47pw85gis&hl=pt-BR" width="640" height="480"></iframe>
 
+### Tambores como avançadas tecnologias de comunicação
+
 Facilmente podemos entender o “Tambor” como a primeira internet do mundo. Quando os pretos africanos usavam seus instrumentos para se comunicarem entre si e entre vilarejos diferentes, o tambor realizava o papel de rede de comunicação, sendo comparado ao que temos hoje como (wan, lan e man) como são conhecidas os tipos de rede de comunicação das redes de computadores. Os toques podem ser entendidos com as mensagens mandadas de tambores para tambores, os toques que os tambores emanam ecriptografados com a possibilidade que um “decodificador” um mestre ancião ou griot, que faria esse tradução de códigos musicas em linguagens humanas. As informações que ficavam escondidas por traz da mensagem e o povo consegue entender depois de descriptografadas pelos mestres portadores desses conhecimentos, daí podemos ter uma usabilidade de todo os meios humanos por traz dos dados que os tambores nos proporcionam. Dessa forma encontramos uma rede de comunicação sem fio, com capacidade de conectar a comunidade além de tocar a alma do povo que faz parte dessa rede de comunicação, mesmo que só como receptor de todo os dados finais do processo de decodificação.
 Entender esse processo de comunicação cultural como importante tecnologia social, da forma que suas expressões acontecem sem se desprender das riquezas ancestrais, e atribuir valores reais, que nossas praticas merecem ser entendidas, como algo altamente tecnológica, a parte importante de um território digital, que precisa ser ocupado pelo povo preto, uma vez que nossas praticas estão sendo grilados, no sentido de ser tomados diante das nossas comunidades. O processo de embranquecimento cultural pode ser observado nas praticas maranhense, motivos de alerta para nosso povo.
 

diff --git a/index.mdwn b/index.mdwn
index 88facfb..9cf7cc2 100644
--- a/index.mdwn
+++ b/index.mdwn
@@ -94,6 +94,7 @@ O núcleo Gbara Dudu trabalha o social através do digital desde 2010, baseando
         ____________________________/             )______  \ "  \____________________________ _ _ _
 ### Tambores como avançadas tecnologias de comunicação
 
+>>>>>><iframe src="https://www.google.com/maps/d/embed?mid=10MRtNd8rxu3iR4c_0H47pw85gis&hl=pt-BR" width="640" height="480"></iframe>
 
 Facilmente podemos entender o “Tambor” como a primeira internet do mundo. Quando os pretos africanos usavam seus instrumentos para se comunicarem entre si e entre vilarejos diferentes, o tambor realizava o papel de rede de comunicação, sendo comparado ao que temos hoje como (wan, lan e man) como são conhecidas os tipos de rede de comunicação das redes de computadores. Os toques podem ser entendidos com as mensagens mandadas de tambores para tambores, os toques que os tambores emanam ecriptografados com a possibilidade que um “decodificador” um mestre ancião ou griot, que faria esse tradução de códigos musicas em linguagens humanas. As informações que ficavam escondidas por traz da mensagem e o povo consegue entender depois de descriptografadas pelos mestres portadores desses conhecimentos, daí podemos ter uma usabilidade de todo os meios humanos por traz dos dados que os tambores nos proporcionam. Dessa forma encontramos uma rede de comunicação sem fio, com capacidade de conectar a comunidade além de tocar a alma do povo que faz parte dessa rede de comunicação, mesmo que só como receptor de todo os dados finais do processo de decodificação.
 Entender esse processo de comunicação cultural como importante tecnologia social, da forma que suas expressões acontecem sem se desprender das riquezas ancestrais, e atribuir valores reais, que nossas praticas merecem ser entendidas, como algo altamente tecnológica, a parte importante de um território digital, que precisa ser ocupado pelo povo preto, uma vez que nossas praticas estão sendo grilados, no sentido de ser tomados diante das nossas comunidades. O processo de embranquecimento cultural pode ser observado nas praticas maranhense, motivos de alerta para nosso povo.

diff --git "a/posts/TRA\303\207OS_DA_HIST\303\223RIA_DO_BAIRRO_ARENOSO_E_O_QUILOMBISMO_DA_BIBLIOTECA_COMUNIT\303\201RIA_ZEFERINA-BEIRU.mdwn" "b/posts/TRA\303\207OS_DA_HIST\303\223RIA_DO_BAIRRO_ARENOSO_E_O_QUILOMBISMO_DA_BIBLIOTECA_COMUNIT\303\201RIA_ZEFERINA-BEIRU.mdwn"
index b4c4509..8d56516 100644
--- "a/posts/TRA\303\207OS_DA_HIST\303\223RIA_DO_BAIRRO_ARENOSO_E_O_QUILOMBISMO_DA_BIBLIOTECA_COMUNIT\303\201RIA_ZEFERINA-BEIRU.mdwn"
+++ "b/posts/TRA\303\207OS_DA_HIST\303\223RIA_DO_BAIRRO_ARENOSO_E_O_QUILOMBISMO_DA_BIBLIOTECA_COMUNIT\303\201RIA_ZEFERINA-BEIRU.mdwn"
@@ -1,3 +1,12 @@
+## Rádio Livre Zeferina Beiru
+
+
+>>>>>><aside id="text-2" class="widget widget_text"><h3 class="widget-title"> Radio Livre Zeferina Beiru </h3>			<div class="textwidget"><audio style="width: 300px; margin-bottom: 0px;" autoplay="autoplay" controls="controls" preload=none id='player'> 	<source src='https://orelha.radiolivre.org:8000/radiozeferinabeiru.mp3' type='audio/mp3'><p>Your browser doesn't support HTML audio. Sorry.</p></audio></div>
+
+>>>>><p><a href="https://radios.radiosyculturalibre.com.ar/rbgradio.ogg" target="iframe_a"> Me aperta pra Ouvir)</a></p>
+
+
+
  TRAÇOS DA HISTÓRIA DO BAIRRO ARENOSO E O QUILOMBISMO DA BIBLIOTECA COMUNITÁRIA ZEFERINA-BEIRU 
 
 [[!img  defaults size=400x400 alt="wedding photo"]]

diff --git "a/posts/TRA\303\207OS_DA_HIST\303\223RIA_DO_BAIRRO_ARENOSO_E_O_QUILOMBISMO_DA_BIBLIOTECA_COMUNIT\303\201RIA_ZEFERINA-BEIRU.mdwn" "b/posts/TRA\303\207OS_DA_HIST\303\223RIA_DO_BAIRRO_ARENOSO_E_O_QUILOMBISMO_DA_BIBLIOTECA_COMUNIT\303\201RIA_ZEFERINA-BEIRU.mdwn"
index afb9ce3..b4c4509 100644
--- "a/posts/TRA\303\207OS_DA_HIST\303\223RIA_DO_BAIRRO_ARENOSO_E_O_QUILOMBISMO_DA_BIBLIOTECA_COMUNIT\303\201RIA_ZEFERINA-BEIRU.mdwn"
+++ "b/posts/TRA\303\207OS_DA_HIST\303\223RIA_DO_BAIRRO_ARENOSO_E_O_QUILOMBISMO_DA_BIBLIOTECA_COMUNIT\303\201RIA_ZEFERINA-BEIRU.mdwn"
@@ -17,9 +17,10 @@ No bairro, durante a segunda metade do século XX, estava em atividade um grande
 
 rufino do BeiruManoel Rufino
 
-[[1img defalts size=400x400 alt="wedding photos"]]
+
 [[!img rufino-do-beiru.jpg]]
 
+rufino do BeiruManoel Rufino
 
  Outra instituição religiosa importante na região é o Ilê Axé Gezubum Santa Cruz, fundado em 1940 por mãe Rosalina Santiago dos Santos. O terreiro tem funcionamento até hoje e teve, ha poucos anos, a morte de sua grande sacerdotisa, que ficou durante 36 anos à frente da roça, Mãe Clarice Santiago Santos, mais conhecida como Minha Gal.
 

diff --git "a/posts/TRA\303\207OS_DA_HIST\303\223RIA_DO_BAIRRO_ARENOSO_E_O_QUILOMBISMO_DA_BIBLIOTECA_COMUNIT\303\201RIA_ZEFERINA-BEIRU.mdwn" "b/posts/TRA\303\207OS_DA_HIST\303\223RIA_DO_BAIRRO_ARENOSO_E_O_QUILOMBISMO_DA_BIBLIOTECA_COMUNIT\303\201RIA_ZEFERINA-BEIRU.mdwn"
index 267fed5..afb9ce3 100644
--- "a/posts/TRA\303\207OS_DA_HIST\303\223RIA_DO_BAIRRO_ARENOSO_E_O_QUILOMBISMO_DA_BIBLIOTECA_COMUNIT\303\201RIA_ZEFERINA-BEIRU.mdwn"
+++ "b/posts/TRA\303\207OS_DA_HIST\303\223RIA_DO_BAIRRO_ARENOSO_E_O_QUILOMBISMO_DA_BIBLIOTECA_COMUNIT\303\201RIA_ZEFERINA-BEIRU.mdwn"
@@ -1,4 +1,3 @@
-
  TRAÇOS DA HISTÓRIA DO BAIRRO ARENOSO E O QUILOMBISMO DA BIBLIOTECA COMUNITÁRIA ZEFERINA-BEIRU 
 
 [[!img  defaults size=400x400 alt="wedding photo"]]
@@ -18,6 +17,9 @@ No bairro, durante a segunda metade do século XX, estava em atividade um grande
 
 rufino do BeiruManoel Rufino
 
+[[1img defalts size=400x400 alt="wedding photos"]]
+[[!img rufino-do-beiru.jpg]]
+
 
  Outra instituição religiosa importante na região é o Ilê Axé Gezubum Santa Cruz, fundado em 1940 por mãe Rosalina Santiago dos Santos. O terreiro tem funcionamento até hoje e teve, ha poucos anos, a morte de sua grande sacerdotisa, que ficou durante 36 anos à frente da roça, Mãe Clarice Santiago Santos, mais conhecida como Minha Gal.
 

attachment upload
diff --git "a/posts/TRA\303\207OS_DA_HIST\303\223RIA_DO_BAIRRO_ARENOSO_E_O_QUILOMBISMO_DA_BIBLIOTECA_COMUNIT\303\201RIA_ZEFERINA-BEIRU/rufino-do-beiru.jpg" "b/posts/TRA\303\207OS_DA_HIST\303\223RIA_DO_BAIRRO_ARENOSO_E_O_QUILOMBISMO_DA_BIBLIOTECA_COMUNIT\303\201RIA_ZEFERINA-BEIRU/rufino-do-beiru.jpg"
new file mode 100644
index 0000000..3f47523
Binary files /dev/null and "b/posts/TRA\303\207OS_DA_HIST\303\223RIA_DO_BAIRRO_ARENOSO_E_O_QUILOMBISMO_DA_BIBLIOTECA_COMUNIT\303\201RIA_ZEFERINA-BEIRU/rufino-do-beiru.jpg" differ

diff --git "a/posts/TRA\303\207OS_DA_HIST\303\223RIA_DO_BAIRRO_ARENOSO_E_O_QUILOMBISMO_DA_BIBLIOTECA_COMUNIT\303\201RIA_ZEFERINA-BEIRU.mdwn" "b/posts/TRA\303\207OS_DA_HIST\303\223RIA_DO_BAIRRO_ARENOSO_E_O_QUILOMBISMO_DA_BIBLIOTECA_COMUNIT\303\201RIA_ZEFERINA-BEIRU.mdwn"
index d36529a..267fed5 100644
--- "a/posts/TRA\303\207OS_DA_HIST\303\223RIA_DO_BAIRRO_ARENOSO_E_O_QUILOMBISMO_DA_BIBLIOTECA_COMUNIT\303\201RIA_ZEFERINA-BEIRU.mdwn"
+++ "b/posts/TRA\303\207OS_DA_HIST\303\223RIA_DO_BAIRRO_ARENOSO_E_O_QUILOMBISMO_DA_BIBLIOTECA_COMUNIT\303\201RIA_ZEFERINA-BEIRU.mdwn"
@@ -1,12 +1,13 @@
->>>>>> # Aos guerreiros Diego Santos e Hugo Gabriel
-
 
+ TRAÇOS DA HISTÓRIA DO BAIRRO ARENOSO E O QUILOMBISMO DA BIBLIOTECA COMUNITÁRIA ZEFERINA-BEIRU 
 
 [[!img  defaults size=400x400 alt="wedding photo"]]
 [[!img  índice.jpeg]]
 [[!img  galera.jpeg]]
 [[!img  biblioteca-zeferina-300x200.jpg]]
 
+>>>>>> # Aos guerreiros Diego Santos e Hugo Gabriel
+
 As histórias tiradas do solo trazem rastros de pegadas e se o solo for arenoso pode tingir de vermelho os pés, deixar evidente, para os novos andantes, os passos dos ancestrais. Os mais velhos diluíram em concreto o arenoso, compuseram vigas com ele, construíram casas, avenidas, formaram o bairro Arenoso que compõe também a região onde, no século XIX, fora o quilombo do Cabula.
 
 O Arenoso está localizado próximo aos bairros Beiru, Cabula 6, Sussuarana, Nova Sussuarna, Novo Horizonte e CAB. Está no centro geográfico da Cidade do Salvador-ba. E até o ano de 1940 fazia parte do bairro Beiru, como se pode ver no livro Beiru (2007), lançado pela Associação Comunitária e Carnavalesca Mundo Negro. O livro é um compendio de informações sobre a região: fotos, escrituras, abaixos assinados e textos falando sobre o arquétipo ancestral, Beiru, e os herdeiros da região.

diff --git "a/posts/TRA\303\207OS_DA_HIST\303\223RIA_DO_BAIRRO_ARENOSO_E_O_QUILOMBISMO_DA_BIBLIOTECA_COMUNIT\303\201RIA_ZEFERINA-BEIRU.mdwn" "b/posts/TRA\303\207OS_DA_HIST\303\223RIA_DO_BAIRRO_ARENOSO_E_O_QUILOMBISMO_DA_BIBLIOTECA_COMUNIT\303\201RIA_ZEFERINA-BEIRU.mdwn"
index 887d8b8..d36529a 100644
--- "a/posts/TRA\303\207OS_DA_HIST\303\223RIA_DO_BAIRRO_ARENOSO_E_O_QUILOMBISMO_DA_BIBLIOTECA_COMUNIT\303\201RIA_ZEFERINA-BEIRU.mdwn"
+++ "b/posts/TRA\303\207OS_DA_HIST\303\223RIA_DO_BAIRRO_ARENOSO_E_O_QUILOMBISMO_DA_BIBLIOTECA_COMUNIT\303\201RIA_ZEFERINA-BEIRU.mdwn"
@@ -1,6 +1,11 @@
-Aos guerreiros Diego Santos e Hugo Gabriel
+>>>>>> # Aos guerreiros Diego Santos e Hugo Gabriel
 
-[[!img rufino-do-beiru.jpg]]
+
+
+[[!img  defaults size=400x400 alt="wedding photo"]]
+[[!img  índice.jpeg]]
+[[!img  galera.jpeg]]
+[[!img  biblioteca-zeferina-300x200.jpg]]
 
 As histórias tiradas do solo trazem rastros de pegadas e se o solo for arenoso pode tingir de vermelho os pés, deixar evidente, para os novos andantes, os passos dos ancestrais. Os mais velhos diluíram em concreto o arenoso, compuseram vigas com ele, construíram casas, avenidas, formaram o bairro Arenoso que compõe também a região onde, no século XIX, fora o quilombo do Cabula.
 

attachment upload
diff --git "a/posts/TRA\303\207OS_DA_HIST\303\223RIA_DO_BAIRRO_ARENOSO_E_O_QUILOMBISMO_DA_BIBLIOTECA_COMUNIT\303\201RIA_ZEFERINA-BEIRU/biblioteca-zeferina-300x200.jpg" "b/posts/TRA\303\207OS_DA_HIST\303\223RIA_DO_BAIRRO_ARENOSO_E_O_QUILOMBISMO_DA_BIBLIOTECA_COMUNIT\303\201RIA_ZEFERINA-BEIRU/biblioteca-zeferina-300x200.jpg"
new file mode 100644
index 0000000..b760d02
Binary files /dev/null and "b/posts/TRA\303\207OS_DA_HIST\303\223RIA_DO_BAIRRO_ARENOSO_E_O_QUILOMBISMO_DA_BIBLIOTECA_COMUNIT\303\201RIA_ZEFERINA-BEIRU/biblioteca-zeferina-300x200.jpg" differ
diff --git "a/posts/TRA\303\207OS_DA_HIST\303\223RIA_DO_BAIRRO_ARENOSO_E_O_QUILOMBISMO_DA_BIBLIOTECA_COMUNIT\303\201RIA_ZEFERINA-BEIRU/diebobzb.jpeg" "b/posts/TRA\303\207OS_DA_HIST\303\223RIA_DO_BAIRRO_ARENOSO_E_O_QUILOMBISMO_DA_BIBLIOTECA_COMUNIT\303\201RIA_ZEFERINA-BEIRU/diebobzb.jpeg"
new file mode 100644
index 0000000..a236600
Binary files /dev/null and "b/posts/TRA\303\207OS_DA_HIST\303\223RIA_DO_BAIRRO_ARENOSO_E_O_QUILOMBISMO_DA_BIBLIOTECA_COMUNIT\303\201RIA_ZEFERINA-BEIRU/diebobzb.jpeg" differ
diff --git "a/posts/TRA\303\207OS_DA_HIST\303\223RIA_DO_BAIRRO_ARENOSO_E_O_QUILOMBISMO_DA_BIBLIOTECA_COMUNIT\303\201RIA_ZEFERINA-BEIRU/galera.jpeg" "b/posts/TRA\303\207OS_DA_HIST\303\223RIA_DO_BAIRRO_ARENOSO_E_O_QUILOMBISMO_DA_BIBLIOTECA_COMUNIT\303\201RIA_ZEFERINA-BEIRU/galera.jpeg"
new file mode 100644
index 0000000..bef46f6
Binary files /dev/null and "b/posts/TRA\303\207OS_DA_HIST\303\223RIA_DO_BAIRRO_ARENOSO_E_O_QUILOMBISMO_DA_BIBLIOTECA_COMUNIT\303\201RIA_ZEFERINA-BEIRU/galera.jpeg" differ

attachment upload
diff --git "a/posts/TRA\303\207OS_DA_HIST\303\223RIA_DO_BAIRRO_ARENOSO_E_O_QUILOMBISMO_DA_BIBLIOTECA_COMUNIT\303\201RIA_ZEFERINA-BEIRU/\303\255ndice.jpeg" "b/posts/TRA\303\207OS_DA_HIST\303\223RIA_DO_BAIRRO_ARENOSO_E_O_QUILOMBISMO_DA_BIBLIOTECA_COMUNIT\303\201RIA_ZEFERINA-BEIRU/\303\255ndice.jpeg"
new file mode 100644
index 0000000..6866ecf
Binary files /dev/null and "b/posts/TRA\303\207OS_DA_HIST\303\223RIA_DO_BAIRRO_ARENOSO_E_O_QUILOMBISMO_DA_BIBLIOTECA_COMUNIT\303\201RIA_ZEFERINA-BEIRU/\303\255ndice.jpeg" differ

diff --git "a/posts/TRA\303\207OS_DA_HIST\303\223RIA_DO_BAIRRO_ARENOSO_E_O_QUILOMBISMO_DA_BIBLIOTECA_COMUNIT\303\201RIA_ZEFERINA-BEIRU.mdwn" "b/posts/TRA\303\207OS_DA_HIST\303\223RIA_DO_BAIRRO_ARENOSO_E_O_QUILOMBISMO_DA_BIBLIOTECA_COMUNIT\303\201RIA_ZEFERINA-BEIRU.mdwn"
new file mode 100644
index 0000000..887d8b8
--- /dev/null
+++ "b/posts/TRA\303\207OS_DA_HIST\303\223RIA_DO_BAIRRO_ARENOSO_E_O_QUILOMBISMO_DA_BIBLIOTECA_COMUNIT\303\201RIA_ZEFERINA-BEIRU.mdwn"
@@ -0,0 +1,25 @@
+Aos guerreiros Diego Santos e Hugo Gabriel
+
+[[!img rufino-do-beiru.jpg]]
+
+As histórias tiradas do solo trazem rastros de pegadas e se o solo for arenoso pode tingir de vermelho os pés, deixar evidente, para os novos andantes, os passos dos ancestrais. Os mais velhos diluíram em concreto o arenoso, compuseram vigas com ele, construíram casas, avenidas, formaram o bairro Arenoso que compõe também a região onde, no século XIX, fora o quilombo do Cabula.
+
+O Arenoso está localizado próximo aos bairros Beiru, Cabula 6, Sussuarana, Nova Sussuarna, Novo Horizonte e CAB. Está no centro geográfico da Cidade do Salvador-ba. E até o ano de 1940 fazia parte do bairro Beiru, como se pode ver no livro Beiru (2007), lançado pela Associação Comunitária e Carnavalesca Mundo Negro. O livro é um compendio de informações sobre a região: fotos, escrituras, abaixos assinados e textos falando sobre o arquétipo ancestral, Beiru, e os herdeiros da região.
+
+A separação ou o desdobramento de parte do Beiru em Arenoso ocorreu por intervenção mítica, ou melhor, por mediação dos orixás, segundo relatos advindos do testemunho oral: em 1940 após uma chuva com trovoada, desígnios de Xangô, orixá da sabedoria e da justiça, e também com relâmpagos, poder de Iansã, a região foi separada; houve uma cisão geográfica natural. Além disso, havia um pé de umbu que a ventania arrancou com a chuva e um dos herdeiros das terras, chamado de Cara de Vaca percebeu que poderia ficar rico com a terra que estava por baixo de onde saiu à raiz do umbuzeiro. Era arenoso. Foram coletados três tipos de solo do local para o DRM Serviço Geológico do Estado e um engenheiro diagnosticou que os mesmos serviam para pavimentar ruas e construções. Ocorreu, assim, a tentativa de vender as terras para DRM, o valor do arenoso era um pouco semelhante como petróleo hoje, a empresa não teve condições de pagar, então colocou a serviço as caçambas e as máquinas para a extração e todo esse processo levou o bairro a se chamar Arenoso.
+
+No bairro, durante a segunda metade do século XX, estava em atividade um grande terreiro, chamado de Asé do Beiru ou Ilê Axé Tomin Bokun. Ele era o santuário de expressão da religião e culturas bantos no Brasil, comandado por um dos tatas (babalorixas) mais poderosos do país, Manoel Rufino de Souza. Seu nome hoje nomeia uma das avenidas do bairro. E o espaço onde era o terreiro após sua morte, foi vendido para Igreja Universal.
+
+rufino do BeiruManoel Rufino
+
+
+ Outra instituição religiosa importante na região é o Ilê Axé Gezubum Santa Cruz, fundado em 1940 por mãe Rosalina Santiago dos Santos. O terreiro tem funcionamento até hoje e teve, ha poucos anos, a morte de sua grande sacerdotisa, que ficou durante 36 anos à frente da roça, Mãe Clarice Santiago Santos, mais conhecida como Minha Gal.
+
+Um dos aspectos relevantes do subdistrito é o forte comércio de bens e serviços: mercadinhos, lanchonetes, padarias, salões de beleza que dinamizam a comunidade. Além de muitas pessoas que trabalham vendendo frutas nas feiras livres. O Arenoso possui uma estrutura demográfica densa como a maioria dos bairros periféricos de Salvador; assomam-se às casas que formam o horizonte da periferia, com pessoas que comungam trocas solidárias e tentam resistir à violência do estado, ao racismo (detritos de exclusão) e ao genocídio impetrado à juventude negra.
+
+Outro espaço importante na região é o Centro Comunitário do Arenoso (antigo Cine teatro) que estava totalmente abandonado pelos órgãos públicos, mas que no ano de 2015 um grupo de jovens do bairro, do entorno e de outras periferias da cidade, referenciados pela história de luta dos ancestrais, conseguiram inaugurar no dia 28 e 29 de novembro, para a comunidade, a Biblioteca Comunitária Zeferina-Beiru.
+
+Assim, os rastros arenosos dos antepassados foram retomados no quilombismo dos mutirões, na reforma; no olhar plácido da mais velha ao ver o grafite embelezando a parede; nas brincadeiras das crianças, erês inspiradores; na poesia que transpôs os anseios e as revoltas; na música, papo reto; na solidariedade comunitária para retomarmos o quilombo e fazermos a transformação.
+
+Davi Nunes é colaborador do portal SoteroPreta, mestrando no Programa de Pós-graduação em Estudos de Linguagem- PPGEL/UNEB, poeta, contista e escritor de livro Infantil
+

diff --git a/index/blog1.mdwn b/index/blog1.mdwn
new file mode 100644
index 0000000..5538b41
--- /dev/null
+++ b/index/blog1.mdwn
@@ -0,0 +1,2 @@
+[[!img  defaults size=200x200 alt="wedding photo"]]
+[[!img rufino-do-beiru.jpg]]

diff --git a/BLOG1.mdwn b/BLOG1.mdwn
index 19f6014..395c5d1 100644
--- a/BLOG1.mdwn
+++ b/BLOG1.mdwn
@@ -1,3 +1,7 @@
+[[!img  defaults size=400x400 alt="wedding photo"]]
+[[!img índice.jpeg]]
+
+
 imagem biblioteca zeferina-beiruArtista:  Marcos De Oliveira Silva     
 
 Aos guerreiros Diego Santos e Hugo Gabriel

attachment upload
diff --git "a/BLOG1/\303\255ndice.jpeg" "b/BLOG1/\303\255ndice.jpeg"
new file mode 100644
index 0000000..6866ecf
Binary files /dev/null and "b/BLOG1/\303\255ndice.jpeg" differ

diff --git a/BLOG1.mdwn b/BLOG1.mdwn
new file mode 100644
index 0000000..19f6014
--- /dev/null
+++ b/BLOG1.mdwn
@@ -0,0 +1,25 @@
+imagem biblioteca zeferina-beiruArtista:  Marcos De Oliveira Silva     
+
+Aos guerreiros Diego Santos e Hugo Gabriel
+
+As histórias tiradas do solo trazem rastros de pegadas e se o solo for arenoso pode tingir de vermelho os pés, deixar evidente, para os novos andantes, os passos dos ancestrais. Os mais velhos diluíram em concreto o arenoso, compuseram vigas com ele, construíram casas, avenidas, formaram o bairro Arenoso que compõe também a região onde, no século XIX, fora o quilombo do Cabula.
+
+O Arenoso está localizado próximo aos bairros Beiru, Cabula 6, Sussuarana, Nova Sussuarna, Novo Horizonte e CAB. Está no centro geográfico da Cidade do Salvador-ba. E até o ano de 1940 fazia parte do bairro Beiru, como se pode ver no livro Beiru (2007), lançado pela Associação Comunitária e Carnavalesca Mundo Negro. O livro é um compendio de informações sobre a região: fotos, escrituras, abaixos assinados e textos falando sobre o arquétipo ancestral, Beiru, e os herdeiros da região.
+
+A separação ou o desdobramento de parte do Beiru em Arenoso ocorreu por intervenção mítica, ou melhor, por mediação dos orixás, segundo relatos advindos do testemunho oral: em 1940 após uma chuva com trovoada, desígnios de Xangô, orixá da sabedoria e da justiça, e também com relâmpagos, poder de Iansã, a região foi separada; houve uma cisão geográfica natural. Além disso, havia um pé de umbu que a ventania arrancou com a chuva e um dos herdeiros das terras, chamado de Cara de Vaca percebeu que poderia ficar rico com a terra que estava por baixo de onde saiu à raiz do umbuzeiro. Era arenoso. Foram coletados três tipos de solo do local para o DRM Serviço Geológico do Estado e um engenheiro diagnosticou que os mesmos serviam para pavimentar ruas e construções. Ocorreu, assim, a tentativa de vender as terras para DRM, o valor do arenoso era um pouco semelhante como petróleo hoje, a empresa não teve condições de pagar, então colocou a serviço as caçambas e as máquinas para a extração e todo esse processo levou o bairro a se chamar Arenoso.
+
+No bairro, durante a segunda metade do século XX, estava em atividade um grande terreiro, chamado de Asé do Beiru ou Ilê Axé Tomin Bokun. Ele era o santuário de expressão da religião e culturas bantos no Brasil, comandado por um dos tatas (babalorixas) mais poderosos do país, Manoel Rufino de Souza. Seu nome hoje nomeia uma das avenidas do bairro. E o espaço onde era o terreiro após sua morte, foi vendido para Igreja Universal.
+
+rufino do BeiruManoel Rufino
+[[!img  defaults size=200x200 alt="wedding photo"]]
+[[!img rufino-do-beiru.jpg]]
+
+ Outra instituição religiosa importante na região é o Ilê Axé Gezubum Santa Cruz, fundado em 1940 por mãe Rosalina Santiago dos Santos. O terreiro tem funcionamento até hoje e teve, ha poucos anos, a morte de sua grande sacerdotisa, que ficou durante 36 anos à frente da roça, Mãe Clarice Santiago Santos, mais conhecida como Minha Gal.
+
+Um dos aspectos relevantes do subdistrito é o forte comércio de bens e serviços: mercadinhos, lanchonetes, padarias, salões de beleza que dinamizam a comunidade. Além de muitas pessoas que trabalham vendendo frutas nas feiras livres. O Arenoso possui uma estrutura demográfica densa como a maioria dos bairros periféricos de Salvador; assomam-se às casas que formam o horizonte da periferia, com pessoas que comungam trocas solidárias e tentam resistir à violência do estado, ao racismo (detritos de exclusão) e ao genocídio impetrado à juventude negra.
+
+Outro espaço importante na região é o Centro Comunitário do Arenoso (antigo Cine teatro) que estava totalmente abandonado pelos órgãos públicos, mas que no ano de 2015 um grupo de jovens do bairro, do entorno e de outras periferias da cidade, referenciados pela história de luta dos ancestrais, conseguiram inaugurar no dia 28 e 29 de novembro, para a comunidade, a Biblioteca Comunitária Zeferina-Beiru.
+
+Assim, os rastros arenosos dos antepassados foram retomados no quilombismo dos mutirões, na reforma; no olhar plácido da mais velha ao ver o grafite embelezando a parede; nas brincadeiras das crianças, erês inspiradores; na poesia que transpôs os anseios e as revoltas; na música, papo reto; na solidariedade comunitária para retomarmos o quilombo e fazermos a transformação.
+
+Davi Nunes é colaborador do portal SoteroPreta, mestrando no Programa de Pós-graduação em Estudos de Linguagem- PPGEL/UNEB, poeta, contista e escritor de livro Infantil

attachment upload
diff --git a/BLOG1/rufino-do-beiru.jpg b/BLOG1/rufino-do-beiru.jpg
new file mode 100644
index 0000000..3f47523
Binary files /dev/null and b/BLOG1/rufino-do-beiru.jpg differ

diff --git a/index.mdwn b/index.mdwn
index e29ced7..88facfb 100644
--- a/index.mdwn
+++ b/index.mdwn
@@ -44,7 +44,7 @@ Projeto de apropriação tecnológica de técnicas de transmissão ao vivo e em
 
 Projeto de apropriação tecnologica radiofonica de fortalecimento de bases etnicos comunitárias atravez de tecnologias de comunicação via radios web livres. 
 
->>>>>><aside id="text-2" class="widget widget_text"><h3 class="widget-title">WEBRadio RBG </h3>			<div class="textwidget"><audio style="width: 300px; margin-bottom: 0px;" autoplay="autoplay" controls="controls" preload=none id='player'> 	<source src='https://radios.radiosyculturalibre.com.ar/rbgradio.ogg' type='audio/mp3'><p>Your browser doesn't support HTML audio. Sorry.</p></audio></div>
+>>>>>><aside id="text-2" class="widget widget_text"><h3 class="widget-title"> Radio Livre Zeferina Beiru </h3>			<div class="textwidget"><audio style="width: 300px; margin-bottom: 0px;" autoplay="autoplay" controls="controls" preload=none id='player'> 	<source src='https://orelha.radiolivre.org:8000/radiozeferinabeiru.mp3' type='audio/mp3'><p>Your browser doesn't support HTML audio. Sorry.</p></audio></div>
 
 >>>>><p><a href="https://radios.radiosyculturalibre.com.ar/rbgradio.ogg" target="iframe_a"> Me aperta pra Ouvir)</a></p>
 

diff --git a/index.mdwn b/index.mdwn
index bd42c16..e29ced7 100644
--- a/index.mdwn
+++ b/index.mdwn
@@ -36,7 +36,13 @@ pagebody {
 	
 Projeto de apropriação tecnológica de técnicas de transmissão ao vivo e em grade de programação colaborativa pensando um outro formato e ideia de televisão afrocentrada!
 ----------------------------------------
-# REDE RADIOFONICA CARACOL
+
+
+
+
+# REDE COLABORATIVA DE RADIOS WEB LIVRES
+
+Projeto de apropriação tecnologica radiofonica de fortalecimento de bases etnicos comunitárias atravez de tecnologias de comunicação via radios web livres. 
 
 >>>>>><aside id="text-2" class="widget widget_text"><h3 class="widget-title">WEBRadio RBG </h3>			<div class="textwidget"><audio style="width: 300px; margin-bottom: 0px;" autoplay="autoplay" controls="controls" preload=none id='player'> 	<source src='https://radios.radiosyculturalibre.com.ar/rbgradio.ogg' type='audio/mp3'><p>Your browser doesn't support HTML audio. Sorry.</p></audio></div>
 

diff --git a/index.mdwn b/index.mdwn
index c033329..bd42c16 100644
--- a/index.mdwn
+++ b/index.mdwn
@@ -34,8 +34,6 @@ pagebody {
 >><iframe height="450px" width="75%" src="//tv.taina.net.br/fp/tvtambor.html" name="iframe_a"></iframe>
 >>>>><p><a href="http://tv.taina.net.br/fp/tvtambor.html" target="iframe_a"> Me aperta pra assistir tela cheia)</a></p>
 	
-CINE QUEBRADA (WEB TV COLABORATIVA , PROJETO DE CINEMA ITINERANTE, PLAYLIST DE VIDEOS)
-
 Projeto de apropriação tecnológica de técnicas de transmissão ao vivo e em grade de programação colaborativa pensando um outro formato e ideia de televisão afrocentrada!
 ----------------------------------------
 # REDE RADIOFONICA CARACOL

diff --git a/posts/Grande_Marcus_.mdwn b/posts/Grande_Marcus_.mdwn
new file mode 100644
index 0000000..3723e5a
--- /dev/null
+++ b/posts/Grande_Marcus_.mdwn
@@ -0,0 +1,18 @@
+VOCÊ JÁ OUVIU FALAR DE MARCUS GARVEY?
+Conhecimento preto, se liga:
+
+[[!img  marcusgarvey.jpg]]
+
+Eu questionei ‘’Onde está o governo do homem preto? Onde está o seu Rei e o seu reino? Onde está o seu Presidente, o seu país e embaixador, o seu exército, sua marinha, os seus grandes homens de negócio?’’ E como não os encontrei, então declarei: ‘’Eu irei ajudar a criá-los!’’.
+
+Hoje é o dia em que nasceu um dos homens mais inteligentes deste mundo, um homem africano que deixou grandes contribuições e ensinamentos para nós, o povo preto. Marcus Mosiah Garvey Jr, nasceu na cidade jamaicana de Baía de Santa Ana, no dia 17 de Agosto no ano de 1987. Marcus Garvey dedicou a sua vida na restauração da autodeterminação do povo africano nascido no continente ou na diáspora.
+
+Garvey foi perspicaz em suas análises, ele dizia que o povo negro vive esperando receber respeito e tratamento justo nesta babilônia chamada mundo, que é fundada pela concorrência racial e pelo conflito, nesse sentido ele dizia, acreditava e defendia o surgimento de um Novo negro, que se basearia no orgulho, unidade e reparação raciais para liberar sua terra de origem, construindo uma nação, Governo e Exército próprio. Marcus Garvey falou sobre a urgência de nós, pretas e pretos nos atentarmos as nossas próprias responsabilidades, ou assumimos nosso lugar ou continuaremos sendo mortos como ratos caminhando rumo a extinção.
+
+A ideia de Garvey não fazia curva, era papo reto sem romantismo de nenhuma ordem, o romantismo no cega, não dá para sermos românticos enquanto estamos sendo enterrados na vala simplesmente por sermos pretos (as).
+Garvey precisa ser conhecido, precisa ser lembrado, precisamos também seguir os seus ensinamentos, é necessário lembrar: ‘’Sentimento não derruba a Ku klux Klan; artigos de jornal não drrubam a Ku klux Klan. A Ku Klux Klan expressa o sentimento de mais de 95 milhões de pessoas; nenhuma lei derruba o preconceito de uma raça.’’
+
+‘’O mundo inteiro é minha província até que a África seja livre’’. Marus Garvey vive em nós.
+
+Texto: Ayana Omi
+Referência: Procure por mim na tempestade. De pé raça poderosa – Ciclo de formação Marcus Garvey

attachment upload
diff --git a/posts/Grande_Marcus_/marcusgarvey.jpg b/posts/Grande_Marcus_/marcusgarvey.jpg
new file mode 100644
index 0000000..fcbffd1
Binary files /dev/null and b/posts/Grande_Marcus_/marcusgarvey.jpg differ

diff --git a/index.mdwn b/index.mdwn
index a20b61d..c033329 100644
--- a/index.mdwn
+++ b/index.mdwn
@@ -31,12 +31,12 @@ pagebody {
 </style>
 
 </div>
-
-## AFROTV CINE QUEBRADA
 >><iframe height="450px" width="75%" src="//tv.taina.net.br/fp/tvtambor.html" name="iframe_a"></iframe>
-
 >>>>><p><a href="http://tv.taina.net.br/fp/tvtambor.html" target="iframe_a"> Me aperta pra assistir tela cheia)</a></p>
 	
+CINE QUEBRADA (WEB TV COLABORATIVA , PROJETO DE CINEMA ITINERANTE, PLAYLIST DE VIDEOS)
+
+Projeto de apropriação tecnológica de técnicas de transmissão ao vivo e em grade de programação colaborativa pensando um outro formato e ideia de televisão afrocentrada!
 ----------------------------------------
 # REDE RADIOFONICA CARACOL
 
@@ -69,7 +69,7 @@ pagebody {
 Plataforma colaborativa de texto, com ideia de ser um acumulador de materiais diversos para reflexões pretas com ideais pan-africanista / Mulherismo africana atraves do debate pratico sobre a descolonização digital, apropriação tecnologica e afrocentrismo digital. Pontuando a importância da tecnologia para a revolução preta, trazemos uma açãos  afirmantiva voltadas aos conhecimentos tradicionais das comunidades pretas  reconhecendo com criadores e utilizadores de tecnologias sociais, sobretudo as que fortalecem os fatores comunicacionais para as diversos povos e comunidades tradicionais. 
 
 <div class="video_overlay"></div>
-<iframe data-code="h_xM5dQrwFM" data-provider="youtube" src="https://www.youtube.com/embed/h_xM5dQrwFM?rel=0&amp;modestbranding=1&amp;controls=0&amp;showinfo=0&amp;fs=0&amp;wmode=transparent" data-src="https://www.youtube.com/embed/DZjSwWw1HtM=0&amp;modestbranding=1&amp;controls=0&amp;showinfo=0&amp;fs=0&amp;wmode=transparent" frameborder="0" allowfullscreen=""></iframe></div>
+<iframe data-code="h_xM5dQrwFM" data-provider="youtube" src="https://www.youtube.com/embed/h_xM5dQrwFM?rel=0&amp;modestbranding=1&amp;controls=0&amp;showinfo=0&amp;fs=0&amp;wmode=transparent" data-src="https://www.youtube.com/watch?v=DZjSwWw1HtMp;modestbranding=1&amp;controls=0&amp;showinfo=0&amp;fs=0&amp;wmode=transparent" frameborder="0" allowfullscreen=""></iframe></div>
 
 ## Afrocentrismo Digital e Apropriação Tecnológica
 

diff --git a/index.mdwn b/index.mdwn
index d4f3cb5..a20b61d 100644
--- a/index.mdwn
+++ b/index.mdwn
@@ -68,17 +68,8 @@ pagebody {
  
 Plataforma colaborativa de texto, com ideia de ser um acumulador de materiais diversos para reflexões pretas com ideais pan-africanista / Mulherismo africana atraves do debate pratico sobre a descolonização digital, apropriação tecnologica e afrocentrismo digital. Pontuando a importância da tecnologia para a revolução preta, trazemos uma açãos  afirmantiva voltadas aos conhecimentos tradicionais das comunidades pretas  reconhecendo com criadores e utilizadores de tecnologias sociais, sobretudo as que fortalecem os fatores comunicacionais para as diversos povos e comunidades tradicionais. 
 
-Tecnologias Pretas: 
-
-"* Mapa Lagbaye Lyika 
-
-"* Cine Quebrada 
-
-"* Rede de Radios Exu 
-
-
-
-
+<div class="video_overlay"></div>
+<iframe data-code="h_xM5dQrwFM" data-provider="youtube" src="https://www.youtube.com/embed/h_xM5dQrwFM?rel=0&amp;modestbranding=1&amp;controls=0&amp;showinfo=0&amp;fs=0&amp;wmode=transparent" data-src="https://www.youtube.com/embed/DZjSwWw1HtM=0&amp;modestbranding=1&amp;controls=0&amp;showinfo=0&amp;fs=0&amp;wmode=transparent" frameborder="0" allowfullscreen=""></iframe></div>
 
 ## Afrocentrismo Digital e Apropriação Tecnológica
 

diff --git "a/Ber\303\247o_de_sementes_criolas.mdwn" "b/Ber\303\247o_de_sementes_criolas.mdwn"
new file mode 100644
index 0000000..d72c624
--- /dev/null
+++ "b/Ber\303\247o_de_sementes_criolas.mdwn"
@@ -0,0 +1,3 @@
+Mapa das folhas sagradas e medicinais! 
+
+

attachment upload
diff --git a/cinequebrada.jpg b/cinequebrada.jpg
new file mode 100644
index 0000000..57dfae1
Binary files /dev/null and b/cinequebrada.jpg differ

diff --git a/posts/Como_criar_app_para_radio_web_.mdwn b/posts/Como_criar_app_para_radio_web_.mdwn
index 4fc0c97..25ec5f6 100644
--- a/posts/Como_criar_app_para_radio_web_.mdwn
+++ b/posts/Como_criar_app_para_radio_web_.mdwn
@@ -1,6 +1,8 @@
-Segue abaixo todos os passos para que possa realizar a publicação.
+Segue abaixo todos os passos para que possa realizar a publicação de aplicativos para Rádio web no App store.
 Como publicar:
 
+>>>[[!img  Play-Store.png size="200x200" alt="clouds"]]
+
     1- Acesse a página de desenvolvedor da Google Play e siga os passos. Pague os 25 dólares com seu cartão de crédito e siga para a próxima etapa.
     2- Agora você vai ter que preencher seus dados, incluindo o nome que vai aparecer como desenvolvedor do aplicativo. re
     3- Clique em Adicionar novo app.

attachment upload
diff --git a/posts/Como_criar_app_para_radio_web_/Play-Store.png b/posts/Como_criar_app_para_radio_web_/Play-Store.png
new file mode 100644
index 0000000..3a928fd
Binary files /dev/null and b/posts/Como_criar_app_para_radio_web_/Play-Store.png differ

diff --git a/posts/Como_criar_app_para_radio_web_.mdwn b/posts/Como_criar_app_para_radio_web_.mdwn
index a2e7ece..4fc0c97 100644
--- a/posts/Como_criar_app_para_radio_web_.mdwn
+++ b/posts/Como_criar_app_para_radio_web_.mdwn
@@ -29,9 +29,11 @@ Como publicar:
     25- Concorde com os termos de “Diretrizes de conteúdo” e “Leis de exportação dos EUA”, independente de qual país você more.
     26- Clique em salvar
     27- Clique em produtos relacionados ao app e, se não tiver nenhum, clique em Serviços e API.
-    28- Confira tudo e, se estiver tudo certo, vá até o topo da página e clique no local que estiver escrito “Pronto para publicar”.
- Abrirá uma caixa de expansão e você deve   
-    29-  clicar em publicar. Se estiver escrito “Por que não posso publicar”, clique para ver o motivo. Talvez você tenha esquecido de algo ou seu pagamento ainda não foi confirmado.
+    28- Confira tudo e, se estiver tudo certo, vá até o topo da página e clique no local que estiver escrito “Pronto para publicar”.Abrirá uma caixa de expansão e você deve   
+    29-  clicar em publicar. Se estiver escrito “Por que não posso publicar”, clique para ver o motivo.
+
+Talvez você tenha esquecido de algo ou seu pagamento ainda não foi confirmado.
+Se for o segundo caso, você realmente terá que esperar mais um pouco. 
+Assim que confirmado, você receberá um email da Google e poderá clicar em Publicar.
 
- Se for o segundo caso, você realmente terá que esperar mais um pouco. Assim que confirmado, você receberá um email da Google e poderá clicar em Publicar.
     30- Pronto. Agora aguarde algumas horas para ver seu aplicativo em toda a Google Play Store.

diff --git a/posts/Como_criar_app_para_radio_web_.mdwn b/posts/Como_criar_app_para_radio_web_.mdwn
index 7184388..a2e7ece 100644
--- a/posts/Como_criar_app_para_radio_web_.mdwn
+++ b/posts/Como_criar_app_para_radio_web_.mdwn
@@ -29,5 +29,9 @@ Como publicar:
     25- Concorde com os termos de “Diretrizes de conteúdo” e “Leis de exportação dos EUA”, independente de qual país você more.
     26- Clique em salvar
     27- Clique em produtos relacionados ao app e, se não tiver nenhum, clique em Serviços e API.
-    Confira tudo e, se estiver tudo certo, vá até o topo da página e clique no local que estiver escrito “Pronto para publicar”. Abrirá uma caixa de expansão e você deve    clicar em publicar. Se estiver escrito “Por que não posso publicar”, clique para ver o motivo. Talvez você tenha esquecido de algo ou seu pagamento ainda não foi confirmado. Se for o segundo caso, você realmente terá que esperar mais um pouco. Assim que confirmado, você receberá um email da Google e poderá clicar em Publicar.
-    Pronto. Agora aguarde algumas horas para ver seu aplicativo em toda a Google Play Store.
+    28- Confira tudo e, se estiver tudo certo, vá até o topo da página e clique no local que estiver escrito “Pronto para publicar”.
+ Abrirá uma caixa de expansão e você deve   
+    29-  clicar em publicar. Se estiver escrito “Por que não posso publicar”, clique para ver o motivo. Talvez você tenha esquecido de algo ou seu pagamento ainda não foi confirmado.
+
+ Se for o segundo caso, você realmente terá que esperar mais um pouco. Assim que confirmado, você receberá um email da Google e poderá clicar em Publicar.
+    30- Pronto. Agora aguarde algumas horas para ver seu aplicativo em toda a Google Play Store.

tutorial de como criar app para radio web a ser baixado no google play.
diff --git a/posts/Como_criar_app_para_radio_web_.mdwn b/posts/Como_criar_app_para_radio_web_.mdwn
new file mode 100644
index 0000000..7184388
--- /dev/null
+++ b/posts/Como_criar_app_para_radio_web_.mdwn
@@ -0,0 +1,33 @@
+Segue abaixo todos os passos para que possa realizar a publicação.
+Como publicar:
+
+    1- Acesse a página de desenvolvedor da Google Play e siga os passos. Pague os 25 dólares com seu cartão de crédito e siga para a próxima etapa.
+    2- Agora você vai ter que preencher seus dados, incluindo o nome que vai aparecer como desenvolvedor do aplicativo. re
+    3- Clique em Adicionar novo app.
+    4- Escolha o idioma padrão do app e também o nome que vai aparecer para você poder identificar o app na sua página de desenvolvedor.
+    5- Clique em “Enviar APK” para enviar seu primeiro arquivo APK do aplicativo.
+    6- Faça o upload do APK e clique em “Detalhes do App” no menu para seguir para a próxima etapa do processo.
+    7- Agora sim. Escolha o nome do app (vai aparecer na página de Download)
+    8- Escolha uma breve descrição do seu app. Até 80 caracteres.
+    9- Agora faça uma descrição bem completa do seu app.
+    9- Adicione, em Recursos gráficos, os prints do seu app. Vá na seção Telefone e vá adicionando um por um.
+    10- Envie um ícone em alta resolução. Deve-se enviar um PNG de 512×512.
+    11- Envie uma imagem de Gráfico de Recursos, ou, no nome popular, uma capa do app.
+    12- Se tiver um vídeo promocional, insira o link dele no YouTube abaixo.
+    13- Escolha o tipo de app. Se é um App ou um Jogo.
+    14- Escolha a categoria deste app.
+    15- Escolha a classificação do seu app.
+    16- Digite o website (se tiver)
+    17- Digite um email obrigatório para contato da Google e também dos usuários que fizerem o download do seu aplicativo.
+    18- Você pode adicionar um número de telefone, se quiser.
+    19- Adicione um link de política de privacidade. Se não tiver, selecione a caixa de “Não enviar o URL da política de privacidade no momento.”
+    20- Clique em salvar
+    21- Clique em Preço e Distribuição para continuar.
+    22- Agora escolha o preço do seu app. Se ele é gratuito ou pago. Se for pago,  escolha o valor, Valor mínimo = R$2,50.
+    23- Selecione os países que você quer que seu app esteja disponível.
+    24- Se seu app for compatível com Android Wear, selecione a caixa. Assim como Android TV.
+    25- Concorde com os termos de “Diretrizes de conteúdo” e “Leis de exportação dos EUA”, independente de qual país você more.
+    26- Clique em salvar
+    27- Clique em produtos relacionados ao app e, se não tiver nenhum, clique em Serviços e API.
+    Confira tudo e, se estiver tudo certo, vá até o topo da página e clique no local que estiver escrito “Pronto para publicar”. Abrirá uma caixa de expansão e você deve    clicar em publicar. Se estiver escrito “Por que não posso publicar”, clique para ver o motivo. Talvez você tenha esquecido de algo ou seu pagamento ainda não foi confirmado. Se for o segundo caso, você realmente terá que esperar mais um pouco. Assim que confirmado, você receberá um email da Google e poderá clicar em Publicar.
+    Pronto. Agora aguarde algumas horas para ver seu aplicativo em toda a Google Play Store.

diff --git a/index.mdwn b/index.mdwn
index 3d58a84..d4f3cb5 100644
--- a/index.mdwn
+++ b/index.mdwn
@@ -52,7 +52,7 @@ pagebody {
 
 ### RADIO LIVRE QUEBRADA RBG 
 
->>>>>><aside id="text-2" class="widget widget_text"><h3 class="widget-title">Web Radio Conquista </h3>			<div class="textwidget"><audio style="width: 300px; margin-bottom: 0px;" autoplay="autoplay" controls="controls" preload=none id='player'> 	<source src='http://icecast.taina.net.br/radioquebrada.mp3' type='audio/mp3'><p>Your browser doesn't support HTML audio. Sorry.</p></audio></div>
+>>>>>><aside id="text-2" class="widget widget_text"><h3 class="widget-title">Web Radio Livre Quebrada RBG </h3>			<div class="textwidget"><audio style="width: 300px; margin-bottom: 0px;" autoplay="autoplay" controls="controls" preload=none id='player'> 	<source src='http://icecast.taina.net.br/radioquebrada.mp3' type='audio/mp3'><p>Your browser doesn't support HTML audio. Sorry.</p></audio></div>
 
 >>>>><p><a href="http://icecast.taina.net.br/radioquebrada.mp3" target="iframe_a"> Me aperta pra Ouvir)</a></p>
 

diff --git a/index.mdwn b/index.mdwn
index 729c645..3d58a84 100644
--- a/index.mdwn
+++ b/index.mdwn
@@ -32,7 +32,7 @@ pagebody {
 
 </div>
 
-## CINE QUEBRADA
+## AFROTV CINE QUEBRADA
 >><iframe height="450px" width="75%" src="//tv.taina.net.br/fp/tvtambor.html" name="iframe_a"></iframe>
 
 >>>>><p><a href="http://tv.taina.net.br/fp/tvtambor.html" target="iframe_a"> Me aperta pra assistir tela cheia)</a></p>

diff --git a/index.mdwn b/index.mdwn
index 68cd964..729c645 100644
--- a/index.mdwn
+++ b/index.mdwn
@@ -38,7 +38,7 @@ pagebody {
 >>>>><p><a href="http://tv.taina.net.br/fp/tvtambor.html" target="iframe_a"> Me aperta pra assistir tela cheia)</a></p>
 	
 ----------------------------------------
-# REDE DE RADIO EXU
+# REDE RADIOFONICA CARACOL
 
 >>>>>><aside id="text-2" class="widget widget_text"><h3 class="widget-title">WEBRadio RBG </h3>			<div class="textwidget"><audio style="width: 300px; margin-bottom: 0px;" autoplay="autoplay" controls="controls" preload=none id='player'> 	<source src='https://radios.radiosyculturalibre.com.ar/rbgradio.ogg' type='audio/mp3'><p>Your browser doesn't support HTML audio. Sorry.</p></audio></div>
 
@@ -50,6 +50,12 @@ pagebody {
 
 >>>>><p><a href="https://radios.radiosyculturalibre.com.ar/radioconquista.ogg" target="iframe_a"> Me aperta pra Ouvir)</a></p>
 
+### RADIO LIVRE QUEBRADA RBG 
+
+>>>>>><aside id="text-2" class="widget widget_text"><h3 class="widget-title">Web Radio Conquista </h3>			<div class="textwidget"><audio style="width: 300px; margin-bottom: 0px;" autoplay="autoplay" controls="controls" preload=none id='player'> 	<source src='http://icecast.taina.net.br/radioquebrada.mp3' type='audio/mp3'><p>Your browser doesn't support HTML audio. Sorry.</p></audio></div>
+
+>>>>><p><a href="http://icecast.taina.net.br/radioquebrada.mp3" target="iframe_a"> Me aperta pra Ouvir)</a></p>
+
 
 -----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
 

diff --git a/index.mdwn b/index.mdwn
index 125e853..68cd964 100644
--- a/index.mdwn
+++ b/index.mdwn
@@ -44,7 +44,7 @@ pagebody {
 
 >>>>><p><a href="https://radios.radiosyculturalibre.com.ar/rbgradio.ogg" target="iframe_a"> Me aperta pra Ouvir)</a></p>
 
-# WEB RADIO CONQUISTA
+### WEB RADIO CONQUISTA
 
 >>>>>><aside id="text-2" class="widget widget_text"><h3 class="widget-title">Web Radio Conquista </h3>			<div class="textwidget"><audio style="width: 300px; margin-bottom: 0px;" autoplay="autoplay" controls="controls" preload=none id='player'> 	<source src='https://radios.radiosyculturalibre.com.ar/radioconquista.ogg' type='audio/mp3'><p>Your browser doesn't support HTML audio. Sorry.</p></audio></div>
 
@@ -54,13 +54,24 @@ pagebody {
 -----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
 
 
-## Wiki/SITE COLABORATIVO
+# Wiki/SITE COLABORATIVO
 
 
 
 >>[[!img  riso.jpg size="600x400"]]
  
-Plataforma colaborativa de texto, com ideia de ser um acumulador de materiais diversos para reflexões pretas com ideais pan-africanista / Mulherismo africana. Pontuando a importância da tecnologia para a revolução preta, trazemos uma ação de apropriação tecnológicas reafirmando as comunidades pretas com criadores e utilizadores de tecnologias sociais, sobretudo as que fortalecem os fatores comunicacionais para as diversos povos e comunidades tradicionais. 
+Plataforma colaborativa de texto, com ideia de ser um acumulador de materiais diversos para reflexões pretas com ideais pan-africanista / Mulherismo africana atraves do debate pratico sobre a descolonização digital, apropriação tecnologica e afrocentrismo digital. Pontuando a importância da tecnologia para a revolução preta, trazemos uma açãos  afirmantiva voltadas aos conhecimentos tradicionais das comunidades pretas  reconhecendo com criadores e utilizadores de tecnologias sociais, sobretudo as que fortalecem os fatores comunicacionais para as diversos povos e comunidades tradicionais. 
+
+Tecnologias Pretas: 
+
+"* Mapa Lagbaye Lyika 
+
+"* Cine Quebrada 
+
+"* Rede de Radios Exu 
+
+
+
 
 
 ## Afrocentrismo Digital e Apropriação Tecnológica

diff --git a/index.mdwn b/index.mdwn
index d428978..125e853 100644
--- a/index.mdwn
+++ b/index.mdwn
@@ -32,13 +32,13 @@ pagebody {
 
 </div>
 
-## TV WEB TAMBOR/VENTANIA 
+## CINE QUEBRADA
 >><iframe height="450px" width="75%" src="//tv.taina.net.br/fp/tvtambor.html" name="iframe_a"></iframe>
 
 >>>>><p><a href="http://tv.taina.net.br/fp/tvtambor.html" target="iframe_a"> Me aperta pra assistir tela cheia)</a></p>
 	
 ----------------------------------------
-# WEB RADIO RBG
+# REDE DE RADIO EXU
 
 >>>>>><aside id="text-2" class="widget widget_text"><h3 class="widget-title">WEBRadio RBG </h3>			<div class="textwidget"><audio style="width: 300px; margin-bottom: 0px;" autoplay="autoplay" controls="controls" preload=none id='player'> 	<source src='https://radios.radiosyculturalibre.com.ar/rbgradio.ogg' type='audio/mp3'><p>Your browser doesn't support HTML audio. Sorry.</p></audio></div>
 
@@ -54,7 +54,7 @@ pagebody {
 -----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
 
 
-## Wiki/site 
+## Wiki/SITE COLABORATIVO
 
 
 

diff --git a/Quem_Somos.mdwn b/Quem_Somos.mdwn
index 3035a32..aba8020 100644
--- a/Quem_Somos.mdwn
+++ b/Quem_Somos.mdwn
@@ -1 +1 @@
-apresentacao da ideia geral 
+o (kilombu 15) eh uma organizacao panafricanista que busca o fortalecimento de bases comunitarias atravez de acoes diretas culturais africanas. 

diff --git a/index.mdwn b/index.mdwn
index 4a17628..d428978 100644
--- a/index.mdwn
+++ b/index.mdwn
@@ -50,6 +50,10 @@ pagebody {
 
 >>>>><p><a href="https://radios.radiosyculturalibre.com.ar/radioconquista.ogg" target="iframe_a"> Me aperta pra Ouvir)</a></p>
 
+
+-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
+
+
 ## Wiki/site 
 
 

diff --git a/index.mdwn b/index.mdwn
index df30331..4a17628 100644
--- a/index.mdwn
+++ b/index.mdwn
@@ -44,6 +44,12 @@ pagebody {
 
 >>>>><p><a href="https://radios.radiosyculturalibre.com.ar/rbgradio.ogg" target="iframe_a"> Me aperta pra Ouvir)</a></p>
 
+# WEB RADIO CONQUISTA
+
+>>>>>><aside id="text-2" class="widget widget_text"><h3 class="widget-title">Web Radio Conquista </h3>			<div class="textwidget"><audio style="width: 300px; margin-bottom: 0px;" autoplay="autoplay" controls="controls" preload=none id='player'> 	<source src='https://radios.radiosyculturalibre.com.ar/radioconquista.ogg' type='audio/mp3'><p>Your browser doesn't support HTML audio. Sorry.</p></audio></div>
+
+>>>>><p><a href="https://radios.radiosyculturalibre.com.ar/radioconquista.ogg" target="iframe_a"> Me aperta pra Ouvir)</a></p>
+
 ## Wiki/site 
 
 

diff --git a/index.mdwn b/index.mdwn
index 98a1b26..df30331 100644
--- a/index.mdwn
+++ b/index.mdwn
@@ -36,21 +36,13 @@ pagebody {
 >><iframe height="450px" width="75%" src="//tv.taina.net.br/fp/tvtambor.html" name="iframe_a"></iframe>
 
 >>>>><p><a href="http://tv.taina.net.br/fp/tvtambor.html" target="iframe_a"> Me aperta pra assistir tela cheia)</a></p>
-
-
-
-# WEB RADIO CONQUISTA
-
->>>>>><aside id="text-2" class="widget widget_text"><h3 class="widget-title">WEBRadio Conquista </h3>			<div class="textwidget"><audio style="width: 300px; margin-bottom: 0px;" autoplay="autoplay" controls="controls" preload=none id='player'> 	<source src='http://radios.radiosyculturalibre.com.ar:9000/radioconquista.ogg' type='audio/mp3'><p>Your browser doesn't support HTML audio. Sorry.</p></audio></div>
-
->>>>><p><a href="http://radios.radiosyculturalibre.com.ar:9000/radioconquista.ogg" target="iframe_a"> Me aperta pra Ouvir)</a></p>
 	
 ----------------------------------------
 # WEB RADIO RBG
 
->>>>>><aside id="text-2" class="widget widget_text"><h3 class="widget-title">WEBRadio RBG </h3>			<div class="textwidget"><audio style="width: 300px; margin-bottom: 0px;" autoplay="autoplay" controls="controls" preload=none id='player'> 	<source src='http://radios.radiosyculturalibre.com.ar:9000/rbgradio.ogg' type='audio/mp3'><p>Your browser doesn't support HTML audio. Sorry.</p></audio></div>
+>>>>>><aside id="text-2" class="widget widget_text"><h3 class="widget-title">WEBRadio RBG </h3>			<div class="textwidget"><audio style="width: 300px; margin-bottom: 0px;" autoplay="autoplay" controls="controls" preload=none id='player'> 	<source src='https://radios.radiosyculturalibre.com.ar/rbgradio.ogg' type='audio/mp3'><p>Your browser doesn't support HTML audio. Sorry.</p></audio></div>
 
->>>>><p><a href="http://radios.radiosyculturalibre.com.ar:9000/rbgradio.ogg" target="iframe_a"> Me aperta pra Ouvir)</a></p>
+>>>>><p><a href="https://radios.radiosyculturalibre.com.ar/rbgradio.ogg" target="iframe_a"> Me aperta pra Ouvir)</a></p>
 
 ## Wiki/site 
 

diff --git a/index.mdwn b/index.mdwn
index 37ad3a9..98a1b26 100644
--- a/index.mdwn
+++ b/index.mdwn
@@ -54,6 +54,10 @@ pagebody {
 
 ## Wiki/site 
 
+
+
+>>[[!img  riso.jpg size="600x400"]]
+ 
 Plataforma colaborativa de texto, com ideia de ser um acumulador de materiais diversos para reflexões pretas com ideais pan-africanista / Mulherismo africana. Pontuando a importância da tecnologia para a revolução preta, trazemos uma ação de apropriação tecnológicas reafirmando as comunidades pretas com criadores e utilizadores de tecnologias sociais, sobretudo as que fortalecem os fatores comunicacionais para as diversos povos e comunidades tradicionais. 
 
 

diff --git a/index.mdwn b/index.mdwn
index cd10b2b..37ad3a9 100644
--- a/index.mdwn
+++ b/index.mdwn
@@ -30,26 +30,23 @@ pagebody {
 }
 </style>
 
-
-
 </div>
 
 ## TV WEB TAMBOR/VENTANIA 
 >><iframe height="450px" width="75%" src="//tv.taina.net.br/fp/tvtambor.html" name="iframe_a"></iframe>
 
-
 >>>>><p><a href="http://tv.taina.net.br/fp/tvtambor.html" target="iframe_a"> Me aperta pra assistir tela cheia)</a></p>
 
---------------------------------------------------------
 
-## WEB RADIO CONQUISTA
+
+# WEB RADIO CONQUISTA
 
 >>>>>><aside id="text-2" class="widget widget_text"><h3 class="widget-title">WEBRadio Conquista </h3>			<div class="textwidget"><audio style="width: 300px; margin-bottom: 0px;" autoplay="autoplay" controls="controls" preload=none id='player'> 	<source src='http://radios.radiosyculturalibre.com.ar:9000/radioconquista.ogg' type='audio/mp3'><p>Your browser doesn't support HTML audio. Sorry.</p></audio></div>
 
 >>>>><p><a href="http://radios.radiosyculturalibre.com.ar:9000/radioconquista.ogg" target="iframe_a"> Me aperta pra Ouvir)</a></p>
 	
 ----------------------------------------
-WEB RADIO RBG
+# WEB RADIO RBG
 
 >>>>>><aside id="text-2" class="widget widget_text"><h3 class="widget-title">WEBRadio RBG </h3>			<div class="textwidget"><audio style="width: 300px; margin-bottom: 0px;" autoplay="autoplay" controls="controls" preload=none id='player'> 	<source src='http://radios.radiosyculturalibre.com.ar:9000/rbgradio.ogg' type='audio/mp3'><p>Your browser doesn't support HTML audio. Sorry.</p></audio></div>
 

diff --git a/index.mdwn b/index.mdwn
index 33d470a..cd10b2b 100644
--- a/index.mdwn
+++ b/index.mdwn
@@ -192,9 +192,7 @@ actions=yes rootpage="posts"]]
 
 """]]
 
-
-Reaja ou Será morta!
-Reaja ou Será morto!
+Um só caminho!
 
 This blog is powered by [ikiwiki](http://ikiwiki.info).
 

diff --git a/Tv_Coletiva.mdwn b/Tv_Coletiva.mdwn
index a43f0c3..194aaed 100644
--- a/Tv_Coletiva.mdwn
+++ b/Tv_Coletiva.mdwn
@@ -1 +1,5 @@
 >><iframe height="450px" width="75%" src="//tv.taina.net.br/fp/tvtambor.html" name="iframe_a"></iframe>
+
+>><iframe height="450px" width="75%" src="//youtu.be/K0J4d1FnE14" name="iframe_a"></iframe>
+
+

diff --git a/index.mdwn b/index.mdwn
index b0c10cd..33d470a 100644
--- a/index.mdwn
+++ b/index.mdwn
@@ -49,7 +49,7 @@ pagebody {
 >>>>><p><a href="http://radios.radiosyculturalibre.com.ar:9000/radioconquista.ogg" target="iframe_a"> Me aperta pra Ouvir)</a></p>
 	
 ----------------------------------------
-WEB RADIO CONQUISTA
+WEB RADIO RBG
 
 >>>>>><aside id="text-2" class="widget widget_text"><h3 class="widget-title">WEBRadio RBG </h3>			<div class="textwidget"><audio style="width: 300px; margin-bottom: 0px;" autoplay="autoplay" controls="controls" preload=none id='player'> 	<source src='http://radios.radiosyculturalibre.com.ar:9000/rbgradio.ogg' type='audio/mp3'><p>Your browser doesn't support HTML audio. Sorry.</p></audio></div>
 

diff --git a/index.mdwn b/index.mdwn
index b126618..b0c10cd 100644
--- a/index.mdwn
+++ b/index.mdwn
@@ -48,6 +48,12 @@ pagebody {
 
 >>>>><p><a href="http://radios.radiosyculturalibre.com.ar:9000/radioconquista.ogg" target="iframe_a"> Me aperta pra Ouvir)</a></p>
 	
+----------------------------------------
+WEB RADIO CONQUISTA
+
+>>>>>><aside id="text-2" class="widget widget_text"><h3 class="widget-title">WEBRadio RBG </h3>			<div class="textwidget"><audio style="width: 300px; margin-bottom: 0px;" autoplay="autoplay" controls="controls" preload=none id='player'> 	<source src='http://radios.radiosyculturalibre.com.ar:9000/rbgradio.ogg' type='audio/mp3'><p>Your browser doesn't support HTML audio. Sorry.</p></audio></div>
+
+>>>>><p><a href="http://radios.radiosyculturalibre.com.ar:9000/rbgradio.ogg" target="iframe_a"> Me aperta pra Ouvir)</a></p>
 
 ## Wiki/site 
 

diff --git a/index.mdwn b/index.mdwn
index a995926..b126618 100644
--- a/index.mdwn
+++ b/index.mdwn
@@ -44,7 +44,7 @@ pagebody {
 
 ## WEB RADIO CONQUISTA
 
->>>>>><aside id="text-2" class="widget widget_text"><h3 class="widget-title">WEBRadio Conquista </h3>			<div class="textwidget"><audio style="width: 300px; margin-bottom: 0px;" autoplay="autoplay" controls="controls" preload=none id='player'> 	<source src='https://radios.radiosyculturalibre.com.ar:9000/radioconquista.ogg' type='audio/mp3'><p>Your browser doesn't support HTML audio. Sorry.</p></audio></div>
+>>>>>><aside id="text-2" class="widget widget_text"><h3 class="widget-title">WEBRadio Conquista </h3>			<div class="textwidget"><audio style="width: 300px; margin-bottom: 0px;" autoplay="autoplay" controls="controls" preload=none id='player'> 	<source src='http://radios.radiosyculturalibre.com.ar:9000/radioconquista.ogg' type='audio/mp3'><p>Your browser doesn't support HTML audio. Sorry.</p></audio></div>
 
 >>>>><p><a href="http://radios.radiosyculturalibre.com.ar:9000/radioconquista.ogg" target="iframe_a"> Me aperta pra Ouvir)</a></p>
 	

diff --git a/index.mdwn b/index.mdwn
index 4b4820a..a995926 100644
--- a/index.mdwn
+++ b/index.mdwn
@@ -40,6 +40,9 @@ pagebody {
 
 >>>>><p><a href="http://tv.taina.net.br/fp/tvtambor.html" target="iframe_a"> Me aperta pra assistir tela cheia)</a></p>
 
+--------------------------------------------------------
+
+## WEB RADIO CONQUISTA
 
 >>>>>><aside id="text-2" class="widget widget_text"><h3 class="widget-title">WEBRadio Conquista </h3>			<div class="textwidget"><audio style="width: 300px; margin-bottom: 0px;" autoplay="autoplay" controls="controls" preload=none id='player'> 	<source src='https://radios.radiosyculturalibre.com.ar:9000/radioconquista.ogg' type='audio/mp3'><p>Your browser doesn't support HTML audio. Sorry.</p></audio></div>
 

diff --git a/index.mdwn b/index.mdwn
index e7596a9..4b4820a 100644
--- a/index.mdwn
+++ b/index.mdwn
@@ -43,7 +43,7 @@ pagebody {
 
 >>>>>><aside id="text-2" class="widget widget_text"><h3 class="widget-title">WEBRadio Conquista </h3>			<div class="textwidget"><audio style="width: 300px; margin-bottom: 0px;" autoplay="autoplay" controls="controls" preload=none id='player'> 	<source src='https://radios.radiosyculturalibre.com.ar:9000/radioconquista.ogg' type='audio/mp3'><p>Your browser doesn't support HTML audio. Sorry.</p></audio></div>
 
->>>>><p><a href="http://tv.taina.net.br/fp/tvtambor.html" target="iframe_a"> Me aperta pra assistir tela cheia)</a></p>
+>>>>><p><a href="http://radios.radiosyculturalibre.com.ar:9000/radioconquista.ogg" target="iframe_a"> Me aperta pra Ouvir)</a></p>
 	
 
 ## Wiki/site 

diff --git a/index.mdwn b/index.mdwn
index 3dac614..e7596a9 100644
--- a/index.mdwn
+++ b/index.mdwn
@@ -38,10 +38,12 @@ pagebody {
 >><iframe height="450px" width="75%" src="//tv.taina.net.br/fp/tvtambor.html" name="iframe_a"></iframe>
 
 
->>>>><p><a href="http://tv.taina.net.br/fp/tvtambor.html" target="iframe_a">TV Tambor ao VIVO (clica aqui pra ampliar)</a></p>
+>>>>><p><a href="http://tv.taina.net.br/fp/tvtambor.html" target="iframe_a"> Me aperta pra assistir tela cheia)</a></p>
 
 
 >>>>>><aside id="text-2" class="widget widget_text"><h3 class="widget-title">WEBRadio Conquista </h3>			<div class="textwidget"><audio style="width: 300px; margin-bottom: 0px;" autoplay="autoplay" controls="controls" preload=none id='player'> 	<source src='https://radios.radiosyculturalibre.com.ar:9000/radioconquista.ogg' type='audio/mp3'><p>Your browser doesn't support HTML audio. Sorry.</p></audio></div>
+
+>>>>><p><a href="http://tv.taina.net.br/fp/tvtambor.html" target="iframe_a"> Me aperta pra assistir tela cheia)</a></p>
 	
 
 ## Wiki/site 

diff --git a/index.mdwn b/index.mdwn
index 794ba48..3dac614 100644
--- a/index.mdwn
+++ b/index.mdwn
@@ -41,7 +41,7 @@ pagebody {
 >>>>><p><a href="http://tv.taina.net.br/fp/tvtambor.html" target="iframe_a">TV Tambor ao VIVO (clica aqui pra ampliar)</a></p>
 
 
->>>>>><aside id="text-2" class="widget widget_text"><h3 class="widget-title">Radio Mocambos</h3>			<div class="textwidget"><audio style="width: 300px; margin-bottom: 0px;" autoplay="autoplay" controls="controls" preload=none id='player'> 	<source src='http://icecast.taina.net.br/radiomocambos.mp3' type='audio/mp3'><p>Your browser doesn't support HTML audio. Sorry.</p></audio></div>
+>>>>>><aside id="text-2" class="widget widget_text"><h3 class="widget-title">WEBRadio Conquista </h3>			<div class="textwidget"><audio style="width: 300px; margin-bottom: 0px;" autoplay="autoplay" controls="controls" preload=none id='player'> 	<source src='https://radios.radiosyculturalibre.com.ar:9000/radioconquista.ogg' type='audio/mp3'><p>Your browser doesn't support HTML audio. Sorry.</p></audio></div>
 	
 
 ## Wiki/site 

calendar update
diff --git a/archives/2018.mdwn b/archives/2018.mdwn
new file mode 100644
index 0000000..e62c64e
--- /dev/null
+++ b/archives/2018.mdwn
@@ -0,0 +1 @@
+[[!calendar type=year year=2018 pages="page(posts/*) and !*/Discussion"]]
diff --git a/archives/2018/01.mdwn b/archives/2018/01.mdwn
new file mode 100644
index 0000000..21c038d
--- /dev/null
+++ b/archives/2018/01.mdwn
@@ -0,0 +1,5 @@
+[[!sidebar content="""
+[[!calendar type=month month=01 year=2018 pages="page(posts/*) and !*/Discussion"]]
+"""]]
+
+[[!inline pages="creation_month(01) and creation_year(2018) and page(posts/*) and !*/Discussion" show=0 feeds=no reverse=yes]]
diff --git a/archives/2018/02.mdwn b/archives/2018/02.mdwn
new file mode 100644
index 0000000..e6db08f
--- /dev/null
+++ b/archives/2018/02.mdwn
@@ -0,0 +1,5 @@
+[[!sidebar content="""
+[[!calendar type=month month=02 year=2018 pages="page(posts/*) and !*/Discussion"]]
+"""]]
+
+[[!inline pages="creation_month(02) and creation_year(2018) and page(posts/*) and !*/Discussion" show=0 feeds=no reverse=yes]]
diff --git a/archives/2018/03.mdwn b/archives/2018/03.mdwn
new file mode 100644
index 0000000..3c67a9f
--- /dev/null
+++ b/archives/2018/03.mdwn
@@ -0,0 +1,5 @@
+[[!sidebar content="""
+[[!calendar type=month month=03 year=2018 pages="page(posts/*) and !*/Discussion"]]
+"""]]
+
+[[!inline pages="creation_month(03) and creation_year(2018) and page(posts/*) and !*/Discussion" show=0 feeds=no reverse=yes]]
diff --git a/archives/2018/04.mdwn b/archives/2018/04.mdwn
new file mode 100644
index 0000000..89e91b0
--- /dev/null
+++ b/archives/2018/04.mdwn
@@ -0,0 +1,5 @@
+[[!sidebar content="""
+[[!calendar type=month month=04 year=2018 pages="page(posts/*) and !*/Discussion"]]
+"""]]
+
+[[!inline pages="creation_month(04) and creation_year(2018) and page(posts/*) and !*/Discussion" show=0 feeds=no reverse=yes]]
diff --git a/archives/2018/05.mdwn b/archives/2018/05.mdwn
new file mode 100644
index 0000000..76556e2
--- /dev/null
+++ b/archives/2018/05.mdwn
@@ -0,0 +1,5 @@
+[[!sidebar content="""
+[[!calendar type=month month=05 year=2018 pages="page(posts/*) and !*/Discussion"]]
+"""]]
+
+[[!inline pages="creation_month(05) and creation_year(2018) and page(posts/*) and !*/Discussion" show=0 feeds=no reverse=yes]]
diff --git a/archives/2018/06.mdwn b/archives/2018/06.mdwn
new file mode 100644
index 0000000..7244cd0
--- /dev/null
+++ b/archives/2018/06.mdwn
@@ -0,0 +1,5 @@
+[[!sidebar content="""
+[[!calendar type=month month=06 year=2018 pages="page(posts/*) and !*/Discussion"]]
+"""]]
+
+[[!inline pages="creation_month(06) and creation_year(2018) and page(posts/*) and !*/Discussion" show=0 feeds=no reverse=yes]]
diff --git a/archives/2018/07.mdwn b/archives/2018/07.mdwn
new file mode 100644
index 0000000..b7659d6
--- /dev/null
+++ b/archives/2018/07.mdwn
@@ -0,0 +1,5 @@
+[[!sidebar content="""
+[[!calendar type=month month=07 year=2018 pages="page(posts/*) and !*/Discussion"]]
+"""]]
+
+[[!inline pages="creation_month(07) and creation_year(2018) and page(posts/*) and !*/Discussion" show=0 feeds=no reverse=yes]]
diff --git a/archives/2018/08.mdwn b/archives/2018/08.mdwn
new file mode 100644
index 0000000..2044f98
--- /dev/null
+++ b/archives/2018/08.mdwn
@@ -0,0 +1,5 @@
+[[!sidebar content="""
+[[!calendar type=month month=08 year=2018 pages="page(posts/*) and !*/Discussion"]]
+"""]]
+
+[[!inline pages="creation_month(08) and creation_year(2018) and page(posts/*) and !*/Discussion" show=0 feeds=no reverse=yes]]
diff --git a/archives/2018/09.mdwn b/archives/2018/09.mdwn
new file mode 100644
index 0000000..ed51cd6
--- /dev/null
+++ b/archives/2018/09.mdwn
@@ -0,0 +1,5 @@
+[[!sidebar content="""
+[[!calendar type=month month=09 year=2018 pages="page(posts/*) and !*/Discussion"]]
+"""]]
+
+[[!inline pages="creation_month(09) and creation_year(2018) and page(posts/*) and !*/Discussion" show=0 feeds=no reverse=yes]]
diff --git a/archives/2018/10.mdwn b/archives/2018/10.mdwn
new file mode 100644
index 0000000..f916789
--- /dev/null
+++ b/archives/2018/10.mdwn
@@ -0,0 +1,5 @@
+[[!sidebar content="""
+[[!calendar type=month month=10 year=2018 pages="page(posts/*) and !*/Discussion"]]
+"""]]
+
+[[!inline pages="creation_month(10) and creation_year(2018) and page(posts/*) and !*/Discussion" show=0 feeds=no reverse=yes]]
diff --git a/archives/2018/11.mdwn b/archives/2018/11.mdwn
new file mode 100644
index 0000000..253e46a
--- /dev/null
+++ b/archives/2018/11.mdwn
@@ -0,0 +1,5 @@
+[[!sidebar content="""
+[[!calendar type=month month=11 year=2018 pages="page(posts/*) and !*/Discussion"]]
+"""]]
+
+[[!inline pages="creation_month(11) and creation_year(2018) and page(posts/*) and !*/Discussion" show=0 feeds=no reverse=yes]]
diff --git a/archives/2018/12.mdwn b/archives/2018/12.mdwn
new file mode 100644
index 0000000..bc7c9c6
--- /dev/null
+++ b/archives/2018/12.mdwn
@@ -0,0 +1,5 @@
+[[!sidebar content="""
+[[!calendar type=month month=12 year=2018 pages="page(posts/*) and !*/Discussion"]]
+"""]]
+
+[[!inline pages="creation_month(12) and creation_year(2018) and page(posts/*) and !*/Discussion" show=0 feeds=no reverse=yes]]

diff --git a/index.mdwn b/index.mdwn
index ee07e5c..794ba48 100644
--- a/index.mdwn
+++ b/index.mdwn
@@ -44,7 +44,6 @@ pagebody {
 >>>>>><aside id="text-2" class="widget widget_text"><h3 class="widget-title">Radio Mocambos</h3>			<div class="textwidget"><audio style="width: 300px; margin-bottom: 0px;" autoplay="autoplay" controls="controls" preload=none id='player'> 	<source src='http://icecast.taina.net.br/radiomocambos.mp3' type='audio/mp3'><p>Your browser doesn't support HTML audio. Sorry.</p></audio></div>
 	
 
-<iframe src="http://webchat.freenode.net?channels=afrocentrismo_digital&uio=d4" width="647" height="400"></iframe>
 ## Wiki/site 
 
 Plataforma colaborativa de texto, com ideia de ser um acumulador de materiais diversos para reflexões pretas com ideais pan-africanista / Mulherismo africana. Pontuando a importância da tecnologia para a revolução preta, trazemos uma ação de apropriação tecnológicas reafirmando as comunidades pretas com criadores e utilizadores de tecnologias sociais, sobretudo as que fortalecem os fatores comunicacionais para as diversos povos e comunidades tradicionais. 

diff --git a/index.mdwn b/index.mdwn
index d6646bf..ee07e5c 100644
--- a/index.mdwn
+++ b/index.mdwn
@@ -44,7 +44,7 @@ pagebody {
 >>>>>><aside id="text-2" class="widget widget_text"><h3 class="widget-title">Radio Mocambos</h3>			<div class="textwidget"><audio style="width: 300px; margin-bottom: 0px;" autoplay="autoplay" controls="controls" preload=none id='player'> 	<source src='http://icecast.taina.net.br/radiomocambos.mp3' type='audio/mp3'><p>Your browser doesn't support HTML audio. Sorry.</p></audio></div>
 	
 
-
+<iframe src="http://webchat.freenode.net?channels=afrocentrismo_digital&uio=d4" width="647" height="400"></iframe>
 ## Wiki/site 
 
 Plataforma colaborativa de texto, com ideia de ser um acumulador de materiais diversos para reflexões pretas com ideais pan-africanista / Mulherismo africana. Pontuando a importância da tecnologia para a revolução preta, trazemos uma ação de apropriação tecnológicas reafirmando as comunidades pretas com criadores e utilizadores de tecnologias sociais, sobretudo as que fortalecem os fatores comunicacionais para as diversos povos e comunidades tradicionais. 

diff --git a/index.mdwn b/index.mdwn
index c0ea462..d6646bf 100644
--- a/index.mdwn
+++ b/index.mdwn
@@ -41,7 +41,7 @@ pagebody {
 >>>>><p><a href="http://tv.taina.net.br/fp/tvtambor.html" target="iframe_a">TV Tambor ao VIVO (clica aqui pra ampliar)</a></p>
 
 
->>>>>><aside id="text-2" class="widget widget_text"><h3 class="widget-title">Radio Mocambos</h3>			<div class="textwidget"><audio style="width: 220px; margin-bottom: 0px;" autoplay="autoplay" controls="controls" preload=none id='player'> 	<source src='http://icecast.taina.net.br/radiomocambos.mp3' type='audio/mp3'><p>Your browser doesn't support HTML audio. Sorry.</p></audio></div>
+>>>>>><aside id="text-2" class="widget widget_text"><h3 class="widget-title">Radio Mocambos</h3>			<div class="textwidget"><audio style="width: 300px; margin-bottom: 0px;" autoplay="autoplay" controls="controls" preload=none id='player'> 	<source src='http://icecast.taina.net.br/radiomocambos.mp3' type='audio/mp3'><p>Your browser doesn't support HTML audio. Sorry.</p></audio></div>
 	
 
 

removed
diff --git a/posts/Testa_post_celular_.mdwn b/posts/Testa_post_celular_.mdwn
deleted file mode 100644
index 5146d77..0000000
--- a/posts/Testa_post_celular_.mdwn
+++ /dev/null
@@ -1,5 +0,0 @@
-Test
-
-
-
-Test

removed
diff --git a/posts/Cooperativa_Nacional_Onilus_Tambores.mdwn b/posts/Cooperativa_Nacional_Onilus_Tambores.mdwn
deleted file mode 100644
index 1b57352..0000000
--- a/posts/Cooperativa_Nacional_Onilus_Tambores.mdwn
+++ /dev/null
@@ -1,17 +0,0 @@
-A Cooperativa Nacional Onilus Tambores nasce de uma conversa entre Mil Onilètó e Hugo Xoroque, que compartilharam a mesma preocupação em relação a profissão tradicionalmente sagrada dos fazedores de tambores e instrumentos de percussão. Surge a ideia de uma rede que funcionaria como uma tentativa de articular os mestres e aprendizes fazedores de tambores do Brasil, buscando a ideologia pan-africanista a organização afro centrada e auto gestão da produção de conhecimento ancestral em torno dos tambores e instrumentos de confecção afro brasileiros e africanos, na sua concepção e criação nas mãos dos Onilús (Mestres fazedores de tambores) e como na musicalização dos mesmo nas comunidades onde eles sejam empregados, os Ogans, taatas e runtós enquanto percussão sagrada e com valores culturais dentro das comunidades e entre os povos tradicionais e de matriz africana em diaspora e fora dela. 
-
-Na gênese da Ideia percebemos que ela já existia a centenas de anos, talvez nosso esforços fossem em renovar essa tradição e adequar a nosso tempo,considerando sensato reconhecer que não estamos "inventando a roda" e parte de uma respeito que enquanto mais novos devemos aos mestre que a tempo mantém viva essa tradição. Logo nossa missão é ser salvaguarda desse conhecimento a procurar a melhor forma de repasse para os mais novos que viram depois de nós, e esse valores pretendemos repassar e relembrar dos nossos descendentes. 
-
-Amadurecendo a ideia de manutenção, demos inicio a uma rotina tradicional de calejar as mão em nossas ferramentas Brasil a fora, repassando e aprendendo mais de nossas pratica, fazendo valer os ensinamentos dos mais velhos como o Saudoso Pai Euclides, que liderou e deixou um legado rítmico e ancestral na Casa Fanti Ashante, como o Ilustre Mestre Jorge Rasta e seu Mestre Nego Banjo que deixou um rastro sagrado de conhecimento de axé e cultural pelo Norte e Nordeste do Brasil, tamanho foi e é sua contribuição que cada Rufá de tambor é um pedaço de seu nome que ficará marcado em nossas memórias, Assim como cada couro esticado gritará o nome de um dos mais sábios Onilús que nos vem em Mente o gigante Mestre Lumunba, que é ídolo de quem aprende com tradição essa respeitada ARTE de moldar em madeira Deuses sonoros conhecidos no mundo por encantar com seu som sagrado o tambor. 
-Os trabalhos da cooperativa Inicia-se no respeitado terreiro de tradição Angola "Matamba Tumbeci Neto"quando Mil a convite da coordenação projeto "Mãe Hilza Mukalê" foi ministrar uma oficina de Confecção de instrumentos de percussão afro brasileiros e africanos. 
-
-Durante as atividade oferecida pelo então professor Mil, foi possível notar que na cidade de Ilhéus, já não era possível encontrar pessoas que soubessem fabricar instrumentos da forma tradicional, ficando assim o campo aberto para empresas que trabalham com instrumento como a vulgaridade de quem faz algo sem importância e muitas das vezes usando de mão de obra tendenciosamente aproveitada, para atingir lucros e usando da "mais valia" para atingir seus esperados milhões, sem oferecer nenhum retorno aos portadores e guardiões desses conhecimentos ancestrais que sempre são usurpados de comunidades sem nenhuma devolutiva e o que é mais grave, se apropriar de um conhecimento ancestral e não reconhecer como uma pratica importante para a resistência dessas comunidades pretas.
-
-Para nós os tambores são como deuses e merecem ser tratados como tal, logo parte de nossos princípio é de resguardar essa pratica e repassar em frente de forma que ela esteja segura dentro de nossas casas, gerando retornos financeiros e culturais, se alguém tem que ganhar dinheiro com o tambor ou com o que ele representa, que seja nós, reais donos e portadores dessa historia tão antiga como a historia da humanidade. Desta forma acreditamos que mesmo o modelo de Cooperativa ser muito Branco pra nos servir é o que mais se aproxima do que queremos falar, Não será necessariamente uma "cooperativa" nos moldes brancos administrativos, convencionais. O trabalho será constante para encontrar um modo que agrade os antigos mestres que nos darão caminhos pra juntar com nossa fibra jovem de Onilús eternamente aprendizes, desse ofício de aprendizado constantes e infinitos.  
-
-
- 
-
-
-[[!img logo.png]]
-[[!img onilu_769_.jpg]]

removed
diff --git "a/posts/Fundo_de_Apoio_ao_Beco_da_Cota_Cultural___40__Projeto_Fam\303\255lia_Black_Panthers__41__.mdwn" "b/posts/Fundo_de_Apoio_ao_Beco_da_Cota_Cultural___40__Projeto_Fam\303\255lia_Black_Panthers__41__.mdwn"
deleted file mode 100644
index a698c72..0000000
--- "a/posts/Fundo_de_Apoio_ao_Beco_da_Cota_Cultural___40__Projeto_Fam\303\255lia_Black_Panthers__41__.mdwn"
+++ /dev/null
@@ -1,41 +0,0 @@
-FUNDO DE APOIO AO BECO DA COTA CULTURAL
-( PROJETO FAMÍLIA BLACK PANTHERS DE TAEKWONDO)
-
-O projeto Família Black Panthers é um projeto sem fins lucrativos mantidos pelo Beco da Cota Cultual , Organização comunitária coordenada por dois jovens moradores que buscam repassar para a comunidade tudo o que aprenderam na suas carreiras de atletas e competidores, desde esse ano o projeto acolhe crianças e jovens em situação de vulnerabilidade social de bairros de São Luís, possibilitando um caminho saudável e brilhante para crianças que tem sido conquistados pelo mundo das drogas e violência das ruas.
-
-O projeto parte de uma iniciativa do entusiasta do movimento negro e dos direitos humanos, Milson Onilètó, que enxerga no esporte uma saída para situação de vulnerabilidade social em que se encontra os crianças e jovens do entorno do bairro do João Paulo, Bares, coroado e rua da vala.
-
-O professor Milson, como passou a ser chamado na comunidade, tem uma historia de vida bem parecida e próxima dos jovens seus alunos e de seu entorno.
-
-O projeto Black Panthers quando foi criado em 2008, partiu de um sonho pessoal de reativar os projetos de esportes comunitários no João Paulo, partindo de alguém que de certa forma teve s vida salva pelos esporte e formação política, quando foi convidado a praticar Taekwondo no Colégio Batista, Escola onde era flanelinha dos barrões que tinham filhos que estudavam na conceituada escola.
-
-A determinação e facilidade de aprender fez do jovem visitante da comunidade que teria sido convidado pra praticar um simples esporte com atletas da escola, na sua maioria garotos ricos, destacou-se entre os atletas e logo foi convidado a compor a equipe de Taekwondo da escola, que nessa época tinha uma seleção de lutadores bastante conhecidos no Maranhão, logo passou a estudar na escola com uma bolsa integral, o Jovem flanelinha transformou-se em um lutador e passou a defender o Colégio Batista em diversos campeonatos e competições, destacando-se no Jems e campeonatos a nível nacional.
-
-Quando o Professor Milson começou a crescer no que diz respeito a graduação, fez um juramento do qual faria de tudo pra cumprir. Era devolver tudo para sua comunidade. Alguns tempos depois, começou a dar aulas para seu primeiro aluno, Bruno, tempos depois conseguiu o espaço da associação de moradores do bairro do Bares (ABB).
-
-O projeto por anos a fio foi tocado de forma autogerida sem nenhum apoio, logo em pouco tempo o projeto já aglutinava aproximadamente 50 crianças e jovens, todos estudando e tendo acompanhamento direto por parte do professor Milson, que mantinha e mantêm um dialogo próximo com a família dos alunos do projeto.
-
-O projeto já esteve 3 anos desativado por falta de estrutura física e de materiais. Esse ano o projeto voltou com força total atingindo o quantitativo de mais de 40 alunos já nos primeiros treinos, entre meninos e meninas de diversas idades. TODOS os alunos com realidade financeira muitas das vezes abaixo da linha de pobreza, não tem condições de comprar os materiais necessários para os treinamentos, assim como uniformes. Apenas 3 dos alunos da escolas já fizeram graduação, o restante não tiveram condição de pagar as taxas. A mesma dificuldade aparece em períodos de competições, uma vez que existem os valores individuais para poderem lutar. Todos as materiais do projeto foi comprado ou com o dinheiro do professor Milson ou fruto de colaboração de todos os alunos.
-Acreditamos que modelos tradicionais de educação fortalecem as atividades de resgate da identidade do povo preto e podres de periferias, apostamos na pedagogia do encantamento e sua capacidade de aglutinar pra perto, jovens e crianças que estão sendo conquistados com bastante facilidade pelo mundo do crime. Ações de retomada das vidas desse público-alvo que se encontra e situação de vulnerabilidade a parti de ações educativas , esportivas e quisar artísticas e culturais remete ao histórico de projetos sociais com foco esportivo do joão paulo.
-O Professor Milson afirma: O esporte reacendeu os brilhos nos olhos das crianças, é magnifico perceber como a felicidade proporcionada pelo projeto mostra o poder que assa ferramenta tem em uma comunidade carente, em que essas criançãs uma atenção tão presente, como a proporcionada pelo projeto, mostra o poder que essa ferramenta tem em uma comunidade carente, essas crianças nunca tiveram uma atenção tão presente quanto a pratica de de uma atividade física, passamos a ser parte de uma família. Queria muito que todos pudessem ver o quão bonito é ver todos eles sorrindo e cuidando um dos outros, mantendo com responsabilidade essa iniciativa, que somente está atuante, graças ao empenho de cada um e cada uma alunos e alunas do projeto.
-AJUDENOS A SALVAR MAIS VIDAS, IDENTIVIQUE-SE COM NOSSA PROPOSTA, APOIE- NÓS!
-
-O esporte tem esse poder de transformação de vida. Relembramos alguns projetos autogerido no João paulo, a exemplo a escolinha de futebol “TOPPER”, esse projeto aglutinava jovens e crianças para a pratica de futebol de campo, similar ao “REAL MADRI”, também projeto de futebol, que funcionava com o mesmo intuito. Ambos os projetos “TOPPER” liderado pelo treinador Joãozinho e o “REAL MADRI” pelo Treinador Lucas mostra o poder que o esporte tem numa comunidade carente, influenciando na formação das crianças e jovens. É notório que no período de atividade dos projetos influi no índice de violência da comunidade onde o mesmo funciona. Quando os referidos projetos estavam em pleno funcionamento, era mínimo a ocorrência de crianças e jovens envolvidos em alguma atividade ilícita no João Paulo, quase todos os jovens estavam envolvidos em alguma atividade esportiva, em um dos dois temes ou em outra modalidade, dessa forma as crianças estavam ocupados sempre que possível nas atividades, ou estavam querendo tirar notas boas nas escolas para poderem participar de um dos times, a escolaridade e manter notas boas era um fator que selecionava ou não candidatos para participarem das atividades.
-
-Quando os projetos se extinguiram esses projetos de esportes na redondeza do João Paulo, é cada vez maior a incidência de jovens em atividades ilícitas, o quantitativo de Jovens “Nenen” que nem trabalha nem estuda, facilitando assim a vulnerabilidade social para esses jovens. formações políticos Sociais e esportivas na infância pode ser uma válvula de escape, para começar a realizar um sonho recorrente que o professor alimente desde criança, que é modificar o meio em que vivia e vive. Como diz um dos ídolos do professor Milson, Frants Fannon, “Não se trata de entender o mundo,e sim modificá-lo”.
-
-COMO CONTRIBUIR!
-
-FUNDO DE APOIO AO BECO DA COTA CULTURAL (PROJETO FAMÍLIA BLACK PANTHERS DE TAEKWONDO)
-
-Para contribuir com a campanha basta realizar um deposito de qualquer valor na
-Conta Corrente Banco do Brasil.
-Conta : 42.618-0
-Agência: 2972-6
-Nome: Milson Dos Santos Silva
-Maiores Informações:(98) 988567520 Prof. Milson/
-(98) 98 987821633 Prof. Johnlennon
-milson.santos42@gmail.com
-http://ewe.branchable.com
-http://corais.org/becodacotacultural/
-https://www.facebook.com/Beco-da-Cota-Cultural/

diff --git a/mapa_das_folhas.mdwn b/mapa_das_folhas.mdwn
new file mode 100644
index 0000000..41f15d7
--- /dev/null
+++ b/mapa_das_folhas.mdwn
@@ -0,0 +1 @@
+>><iframe src="https://folhas.crowdmap.com/iframemap" width="515px" height="430px"></iframe>

diff --git a/Radio_Coletiva_.mdwn b/Radio_Coletiva_.mdwn
index 4538f37..277243f 100644
--- a/Radio_Coletiva_.mdwn
+++ b/Radio_Coletiva_.mdwn
@@ -1 +1 @@
-codigo da radio em html prazo entrega dia 5
+>><iframe height="450px" width="75%" src="//radio.taina.net.br" name="iframe_a"></iframe>

diff --git a/Tv_Coletiva.mdwn b/Tv_Coletiva.mdwn
index 02f6747..a43f0c3 100644
--- a/Tv_Coletiva.mdwn
+++ b/Tv_Coletiva.mdwn
@@ -1 +1 @@
-http://tv.taina.net.br/fp/tvtambor.html
+>><iframe height="450px" width="75%" src="//tv.taina.net.br/fp/tvtambor.html" name="iframe_a"></iframe>

diff --git a/Mapa_Lagbaye_Lyika-Auto-Cartografia.mdwn b/Mapa_Lagbaye_Lyika-Auto-Cartografia.mdwn
index a954c34..26be858 100644
--- a/Mapa_Lagbaye_Lyika-Auto-Cartografia.mdwn
+++ b/Mapa_Lagbaye_Lyika-Auto-Cartografia.mdwn
@@ -1,4 +1,4 @@
 mapa lagbaye lyika 
 
 >><iframe src="https://juventudeativa.crowdmap.com/iframemap" width="650px" height="530px"></iframe>
->><iframe height="450px" width="75%" src="//tv.taina.net.br/fp/tvtambor.html" name="iframe_a"></iframe>
+

diff --git a/Mapa_Lagbaye_Lyika-Auto-Cartografia.mdwn b/Mapa_Lagbaye_Lyika-Auto-Cartografia.mdwn
index 77ea898..a954c34 100644
--- a/Mapa_Lagbaye_Lyika-Auto-Cartografia.mdwn
+++ b/Mapa_Lagbaye_Lyika-Auto-Cartografia.mdwn
@@ -1,4 +1,4 @@
 mapa lagbaye lyika 
 
->><iframe src="https://juventudeativa.crowdmap.com/iframemap" width="450px" height="530px"></iframe>
+>><iframe src="https://juventudeativa.crowdmap.com/iframemap" width="650px" height="530px"></iframe>
 >><iframe height="450px" width="75%" src="//tv.taina.net.br/fp/tvtambor.html" name="iframe_a"></iframe>

diff --git a/Mapa_Lagbaye_Lyika-Auto-Cartografia.mdwn b/Mapa_Lagbaye_Lyika-Auto-Cartografia.mdwn
index 63e1597..77ea898 100644
--- a/Mapa_Lagbaye_Lyika-Auto-Cartografia.mdwn
+++ b/Mapa_Lagbaye_Lyika-Auto-Cartografia.mdwn
@@ -1,3 +1,4 @@
 mapa lagbaye lyika 
 
-<iframe src="https://juventudeativa.crowdmap.com/iframemap" width="600px" height="530px"></iframe>
+>><iframe src="https://juventudeativa.crowdmap.com/iframemap" width="450px" height="530px"></iframe>
+>><iframe height="450px" width="75%" src="//tv.taina.net.br/fp/tvtambor.html" name="iframe_a"></iframe>

diff --git a/Mapa_Lagbaye_Lyika-Auto-Cartografia.mdwn b/Mapa_Lagbaye_Lyika-Auto-Cartografia.mdwn
index 0b5bee2..63e1597 100644
--- a/Mapa_Lagbaye_Lyika-Auto-Cartografia.mdwn
+++ b/Mapa_Lagbaye_Lyika-Auto-Cartografia.mdwn
@@ -1 +1,3 @@
 mapa lagbaye lyika 
+
+<iframe src="https://juventudeativa.crowdmap.com/iframemap" width="600px" height="530px"></iframe>

diff --git a/index.mdwn b/index.mdwn
index 128248c..c0ea462 100644
--- a/index.mdwn
+++ b/index.mdwn
@@ -41,7 +41,7 @@ pagebody {
 >>>>><p><a href="http://tv.taina.net.br/fp/tvtambor.html" target="iframe_a">TV Tambor ao VIVO (clica aqui pra ampliar)</a></p>
 
 
->>>>>>>><aside id="text-2" class="widget widget_text"><h3 class="widget-title">Radio Mocambos</h3>			<div class="textwidget"><audio style="width: 220px; margin-bottom: 0px;" autoplay="autoplay" controls="controls" preload=none id='player'> 	<source src='http://icecast.taina.net.br/radiomocambos.mp3' type='audio/mp3'><p>Your browser doesn't support HTML audio. Sorry.</p></audio></div>
+>>>>>><aside id="text-2" class="widget widget_text"><h3 class="widget-title">Radio Mocambos</h3>			<div class="textwidget"><audio style="width: 220px; margin-bottom: 0px;" autoplay="autoplay" controls="controls" preload=none id='player'> 	<source src='http://icecast.taina.net.br/radiomocambos.mp3' type='audio/mp3'><p>Your browser doesn't support HTML audio. Sorry.</p></audio></div>
 	
 
 

diff --git a/index.mdwn b/index.mdwn
index 3624a63..128248c 100644
--- a/index.mdwn
+++ b/index.mdwn
@@ -41,7 +41,7 @@ pagebody {
 >>>>><p><a href="http://tv.taina.net.br/fp/tvtambor.html" target="iframe_a">TV Tambor ao VIVO (clica aqui pra ampliar)</a></p>
 
 
->>>>>>>>>><aside id="text-2" class="widget widget_text"><h3 class="widget-title">Radio Mocambos</h3>			<div class="textwidget"><audio style="width: 220px; margin-bottom: 0px;" autoplay="autoplay" controls="controls" preload=none id='player'> 	<source src='http://icecast.taina.net.br/radiomocambos.mp3' type='audio/mp3'><p>Your browser doesn't support HTML audio. Sorry.</p></audio></div>
+>>>>>>>><aside id="text-2" class="widget widget_text"><h3 class="widget-title">Radio Mocambos</h3>			<div class="textwidget"><audio style="width: 220px; margin-bottom: 0px;" autoplay="autoplay" controls="controls" preload=none id='player'> 	<source src='http://icecast.taina.net.br/radiomocambos.mp3' type='audio/mp3'><p>Your browser doesn't support HTML audio. Sorry.</p></audio></div>
 	
 
 

diff --git a/index.mdwn b/index.mdwn
index 8cf6b77..3624a63 100644
--- a/index.mdwn
+++ b/index.mdwn
@@ -38,10 +38,10 @@ pagebody {
 >><iframe height="450px" width="75%" src="//tv.taina.net.br/fp/tvtambor.html" name="iframe_a"></iframe>
 
 
-<p><a href="http://tv.taina.net.br/fp/tvtambor.html" target="iframe_a">TV Tambor ao VIVO (clica aqui pra ampliar)</a></p>
+>>>>><p><a href="http://tv.taina.net.br/fp/tvtambor.html" target="iframe_a">TV Tambor ao VIVO (clica aqui pra ampliar)</a></p>
 
 
-<aside id="text-2" class="widget widget_text"><h3 class="widget-title">Radio Mocambos</h3>			<div class="textwidget"><audio style="width: 220px; margin-bottom: 0px;" autoplay="autoplay" controls="controls" preload=none id='player'> 	<source src='http://icecast.taina.net.br/radiomocambos.mp3' type='audio/mp3'><p>Your browser doesn't support HTML audio. Sorry.</p></audio></div>
+>>>>>>>>>><aside id="text-2" class="widget widget_text"><h3 class="widget-title">Radio Mocambos</h3>			<div class="textwidget"><audio style="width: 220px; margin-bottom: 0px;" autoplay="autoplay" controls="controls" preload=none id='player'> 	<source src='http://icecast.taina.net.br/radiomocambos.mp3' type='audio/mp3'><p>Your browser doesn't support HTML audio. Sorry.</p></audio></div>
 	
 
 

diff --git a/index.mdwn b/index.mdwn
index b1d01c0..8cf6b77 100644
--- a/index.mdwn
+++ b/index.mdwn
@@ -99,6 +99,8 @@ Vamos responder isso juntos!!!
 actions=yes rootpage="posts"]]
 [[!sidebar content="""
 
+##Apresentação
+
 *[[Quem Somos]]
 
 *[[qual o papo]]
@@ -107,6 +109,7 @@ actions=yes rootpage="posts"]]
 
 
 ###Ferramentas !
+
 * [[Radio Coletiva ]]
 
 

diff --git "a/Hist\303\263rico.mdwn" "b/Hist\303\263rico.mdwn"
new file mode 100644
index 0000000..e8382c1
--- /dev/null
+++ "b/Hist\303\263rico.mdwn"
@@ -0,0 +1 @@
+historicos de atividades 

diff --git a/qual_o_papo.mdwn b/qual_o_papo.mdwn
new file mode 100644
index 0000000..a0e2590
--- /dev/null
+++ b/qual_o_papo.mdwn
@@ -0,0 +1 @@
+apresentacao do portal 

diff --git a/Quem_Somos.mdwn b/Quem_Somos.mdwn
new file mode 100644
index 0000000..3035a32
--- /dev/null
+++ b/Quem_Somos.mdwn
@@ -0,0 +1 @@
+apresentacao da ideia geral 

diff --git a/index.mdwn b/index.mdwn
index b327c86..b1d01c0 100644
--- a/index.mdwn
+++ b/index.mdwn
@@ -99,11 +99,11 @@ Vamos responder isso juntos!!!
 actions=yes rootpage="posts"]]
 [[!sidebar content="""
 
-##
+*[[Quem Somos]]
 
-##
+*[[qual o papo]]
 
-##
+*[[Histórico]]
 
 
 ###Ferramentas !
@@ -132,18 +132,19 @@ actions=yes rootpage="posts"]]
 
 
 
+*[[mapa das folhas]]
 
 
+*[[Berço de sementes criolas]]
 
 
+*[[trocas de sementes]]
 
 
+*[[canto da arte]]
 
 
-
-
-
-
+*[[Moeda Social]]
 
 
 ###MAPA DE BLOS

diff --git a/index.mdwn b/index.mdwn
index dcf19aa..b327c86 100644
--- a/index.mdwn
+++ b/index.mdwn
@@ -105,13 +105,7 @@ actions=yes rootpage="posts"]]
 
 ##
 
-##
-
-##
 
-##
-
-##
 ###Ferramentas !
 * [[Radio Coletiva ]]
 

diff --git a/index.mdwn b/index.mdwn
index e089c80..dcf19aa 100644
--- a/index.mdwn
+++ b/index.mdwn
@@ -99,13 +99,19 @@ Vamos responder isso juntos!!!
 actions=yes rootpage="posts"]]
 [[!sidebar content="""
 
+##
 
+##
 
+##
 
+##
 
+##
 
+##
 
-
+##
 ###Ferramentas !
 * [[Radio Coletiva ]]
 

diff --git a/index/discussion.mdwn b/index/discussion.mdwn
new file mode 100644
index 0000000..977d248
--- /dev/null
+++ b/index/discussion.mdwn
@@ -0,0 +1 @@
+[[!inline pages="blog/*"]]

diff --git a/index.mdwn b/index.mdwn
index 1104a0a..e089c80 100644
--- a/index.mdwn
+++ b/index.mdwn
@@ -99,6 +99,13 @@ Vamos responder isso juntos!!!
 actions=yes rootpage="posts"]]
 [[!sidebar content="""
 
+
+
+
+
+
+
+
 ###Ferramentas !
 * [[Radio Coletiva ]]
 
@@ -125,6 +132,20 @@ actions=yes rootpage="posts"]]
 
 
 
+
+
+
+
+
+
+
+
+
+
+
+
+
+
 ###MAPA DE BLOS
 
 * [[O que é ?]]

diff --git a/index.mdwn b/index.mdwn
index 57fcb5c..1104a0a 100644
--- a/index.mdwn
+++ b/index.mdwn
@@ -34,7 +34,7 @@ pagebody {
 
 </div>
 
-## TV TAMBOR 
+## TV WEB TAMBOR/VENTANIA 
 >><iframe height="450px" width="75%" src="//tv.taina.net.br/fp/tvtambor.html" name="iframe_a"></iframe>
 
 
@@ -125,23 +125,23 @@ actions=yes rootpage="posts"]]
 
 
 
-###Sobre Rádio Livre
+###MAPA DE BLOS
 
-* [[O que é o radiolivre.org?]]
+* [[O que é ?]]
 
-* [[O que é rádio livre?]]
+* [[BLOG1]]
 
-* [[Elas são legalizáveis?]]
+* [[BLOG2]]
 
-* [[Há muitas rádios livres?]]
+* [[BLOG3]]
 
-* [[Rádio livre é rádio pirata?]]
+* [[BLOG4]]
 
-* [[Como fica o ouvinte?]]
+* [[BLOG5]]
 
-* [[ Há algum projeto de lei?]]
+* [[BLOG6]]
 
-* [[E o risco de fechamento?]]
+* [[BLOG7]]
 
 * [[Sobre]]
 

diff --git a/index.mdwn b/index.mdwn
index 86a57f5..57fcb5c 100644
--- a/index.mdwn
+++ b/index.mdwn
@@ -102,21 +102,28 @@ actions=yes rootpage="posts"]]
 ###Ferramentas !
 * [[Radio Coletiva ]]
 
+
 * [[Tv Coletiva]]
 
+
 * [[Acervos de Filmes]]
 
+
 * [[Acervo de Músicas]]
 
+
 * [[Acervo de Livros]]
 
+
 * [[Rede de Blogs]]
 
+
 * [[Baobaxia]]
 
+
 * [[Mapa Lagbaye Lyika-Auto-Cartografia]]
 
-  [[vírus]]
+
 
 ###Sobre Rádio Livre
 

diff --git a/Rede_de_Blogs.mdwn b/Rede_de_Blogs.mdwn
new file mode 100644
index 0000000..9b65998
--- /dev/null
+++ b/Rede_de_Blogs.mdwn
@@ -0,0 +1 @@
+rede de blogs